1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

EUA investigam se ataque no Texas tem conexão internacional

Polícia revista apartamento de um dos homens mortos após tiroteio em frente a mostra de caricaturas de Maomé. Imprensa local afirma que um dos suspeitos possui ficha criminal e teria anunciado ação nas redes sociais.

O FBI (a polícia federal americana) revistou nesta segunda-feira (04/05) o apartamento de um dos dois homens mortos por policiais no domingo, após abrirem fogo em frente a uma mostra de caricaturas do profeta Maomé, em Garland, cidade próxima de Dallas (Texas).

Enquanto a mídia americana rapidamente traçou paralelos entre o tiroteio e o massacre de janeiro contra a redação do semanário satírico francês Charlie Hebdo, as autoridades dos Estados Unidos afirmam que ainda estão determinando a razão do ataque.

Uma filial da rede americana de notícias ABC identificou um dos dois atiradores mortos. A KPHO TV de Phoenix afirmou que um homem chamado Elton Simpson, do Arizona, era alvo de investigações antiterror e que sua casa foi revistada nesta segunda-feira por agentes do FBI e especialistas em bombas.

Simpson foi condenado há cinco anos por mentir a agentes federais sobre seus planos de viajar à África em uma aparente tentativa de se juntar a uma organização terrorista, segundo a matéria da emissora. KPHO TV disse ainda que o segundo homem morava no mesmo complexo de apartamentos que Simpson.

Ainda segundo a ABC, as autoridades acreditam que Simpson postou mensagens no Twitter momentos antes do ataque, sendo a última com a hashtag #texasattack (ataque no Texas). A mensagem dizia: "Meu irmão e eu juramos lealdade ao comandante dos fiéis. Que Alá nos aceite como mujahedin." A mensagem foi tirada do ar logo após o tiroteio.

USA Texas Mohammed Karikaturen Anschlag

Participantes da competição de caricaturas do profeta Mamomé são levados ao evento em ônibus fortemente vigiados

Posteriormente, também nesta segunda-feira, o porta-voz do FBI Perryn Collier confirmou que uma residência em Phoenix foi revistada em busca de indícios que expliquem o motivo por trás do tiroteio.

Em trabalho conjunto com o FBI, a polícia busca determinar se o ataque foi de cunho terrorista e se tem ligações com o exterior. Segundo a própria polícia, não foram encontradas bombas no carro dos atiradores.

"Estado Islâmico" aplaude "irmãos"

O grupo de monitoramento de terror SITE alega que um conhecido membro do "Estado Islâmico" (EI) se gabou de o ataque ter sido realizado por apoiadores da organização terrorista.

Em uma série de mensagens no Twitter, o jihadista nomeado por Abu Hussain al-Britani afirmou: "Dois dos nossos irmãos acabaram de abrir fogo." O grupo SITE diz que o homem por trás das mensagens é o combatente britânico Junaid Hussain, do EI.

No domingo, dois homens passaram de carro em frente ao centro de conferências de Garland e atiraram contra um guarda de segurança. A polícia local afirmou que o tiroteio durou apenas alguns segundos. "Agentes da polícia de Garland eliminaram os homens armados, que foram baleados e mortos", disse o governo da cidade em um comunicado.

A polícia de Garland afirmou também que a logística de segurança em torno da controversa exposição havia sido planejada por meses. Na noite do tiroteio, uma equipe do esquadrão antibomba, o FBI, uma unidade da polícia tática Swat e outras autoridades de segurança e fiscalização estavam apostos para eventuais incidentes.

O evento contou com a presença do controverso político holandês de extrema direita Geert Wilders, que postou uma fotografia no Twitter, logo após o ataque, agradecendo as forças de segurança americanas por "evitar o pior".

A "Exposição artística e competição Maomé" foi realizada pela Iniciativa Americana de Defesa à Liberdade (AFDI, na sigla em inglês), criticada por patrocinar campanhas anti-islâmicas em meios de transporte dos EUA. Segundo os organizadores, o evento tinha como objetivo promover a liberdade de expressão. Foi oferecido um prêmio de 10 mil dólares para a melhor caricatura ou obra de arte retratando o profeta – o que é considerado uma ofensa por seguidores do islã.

PV/rtr/ap/afp

Leia mais