EUA dão carta branca a criação de maior operadora de bolsas do mundo | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 23.12.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

EUA dão carta branca a criação de maior operadora de bolsas do mundo

A Deutsche Börse e a NYSE receberam aval dos EUA para sua planejada fusão transatlântica, que depende, ainda, da autorização da UE. Mas autoridades europeias e o estado alemão de Hessen ainda fazem objeções ao negócio.

As empresas Deutsche Börse e NYSE Euronext receberam das autoridades dos EUA o sinal verde para sua planejada megafusão. A união entre as operadoras das bolsas de valores de Frankfurt e de Nova York, que criará a maior operadora mundial de bolsas, foi autorizada sob a condição de que uma subsidiária da bolsa de valores alemã venda sua participação na operadora Direct Edge, informou o Departamento de Justiça dos EUA nesta quinta-feira (22/12).

Börsensaal Wall Street *** Bild von Miriam Braun, Februar 2011

Bolsa de Nova York: passo importante para fusão

"Este é um passo importante para a fusão das duas bolsas de valores", declarou a operadora alemã. Ele pretende continuar de forma passiva sua participação na Direct Edge Holding, até sua venda completa. Com sede em Jersey City, New Jersey, a Direct Edge é a quarta maior operadora de bolsa de valores dos EUA. A Deutsche Börse detém, através de sua subsidiária International Securities Exchange (ISE), 31,5% de participação na empresa.

Falta aval da UE

Com a fusão, as bolsas de valores pertencentes às duas empresas, em Nova York, Frankfurt, Paris, Lisboa, Amsterdã e Bruxelas, serão reunidas sob o mesmo teto, formando, assim, a maior operadora mundial de bolsas, com um valor estimado de mercado de 17,5 bilhões de euros. Os dois grupos devem ser fusionados sob a marca de uma nova sociedade holandesa, na qual os alemães deverão ter participação de 60% e os norte-americanos, 40%.

Boersenmakler arbeiten am Mittwoch, 15. Okt. 2008, an der Boerse in Frankfurt am Main. Nach dem Aufatmen zu Wochenbeginn zeigen die Aktienmaerkte wieder einen negativen Trend. Der Deutsche Aktienindex DAX verlor in den ersten Handelsstunden am Mittwoch zweitweise fast 3 Prozent und rutschte unter 5.100 Punkte. Noch deutlichere Einbussen erlitten MDAX und TecDAX. (AP Photo/Daniel Roland) --- Brokers are seen at the stock exchange in Frankfurt, central Germany, on Wednesday, Oct. 15, 2008. Germany's benchmark DAX stock market index opened lower on Wednesday as investors weighed the possibility that the financial crisis could cause a sharp slowdown in world economic growth. (AP Photo/Daniel Roland)

Bolsa de Frankfurt: negócio de derivados é problema

A fusão agendada para fevereiro depende ainda da aprovação da Comissão Europeia, que deverá concluir sua análise até 9 de fevereiro. A megafusão também encontra resistências dos órgãos competentes do estado alemão de Hessen, sede da bolsa de Frankfurt. As autoridades europeias estão preocupadas principalmente com o poder que a Deutsche Börse e a NYSE Euro passarão a ter no negócio europeu de derivados, onde passarão a deter mais de 90% de participação de mercado.

As autoridades do estado alemão de Hessen temem o poder da nova megaoperadora. O secretário da Justiça do estado, Jörg-Uwe Hahn, afirmou, em uma entrevista a um jornal alemão, que o centro financeiro Frankfurt, capital do estado, não pode ser prejudicado pela fusão, e sim, fortalecido. E acrescentou que enquanto esse aspecto não estiver garantido, "a balança certamente não vai pender para uma autorização".

Autor: Rolf Wenkel (md)
Revisão: Augusto Valente

Leia mais