EUA confirmam prisão de mais dois líderes talibãs no Afeganistão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 18.02.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

EUA confirmam prisão de mais dois líderes talibãs no Afeganistão

Secretaria norte-americana da Defesa confirma informações do governador de Kunduz sobre prisão de dois líderes talibãs. Notícia é desmentida pela milícia radical islâmica, que a considera propaganda ocidental.

default

Afegão se entrega a fuzileiros navais norte-americanos durante operação em Marjah

Dois supostos líderes talibãs de duas províncias no norte do Afeganistão foram detidos pelas autoridades paquistanesas, informou nesta quinta-feira (18/02) o governador da província de Kunduz, Mohammad Omar.

Segundo Omar, o mulá Abdul Salam, governador nomeado pelos talibãs para a província de Kunduz, e o mulá Mir Mohammed, da província de Baghlan, teriam sido presos em Quetta. Também a secretaria norte-americana da Defesa confirmou as prisões, não citando, no entanto, o paradeiro dos detidos.

Como ainda não havia uma confirmação oficial do Paquistão, Omar não especificou de onde obteve a informação, mas considerou que as detenções ocorreram há dez dias.

"Este é um passo importante na luta contra o adversário, porque eram eles que deliberavam na região", disse Omar em uma conferência de imprensa na cidade de Kunduz. "Ele [o mulá Sallam] era o comandante mais poderoso em nossa região. Ele liderava todos os grupos em Kunduz", acrescentou.

Informações controversas

Também um membro do serviço secreto do Paquistão confirmou as detenções, dizendo que ambos foram presos por seus agentes em Akora Khattak, a cerca de 40 quilômetros de Peshawar.

A fonte, no entanto, contradiz o governador de Kunduz quanto à data das prisões, que teriam ocorrido há dois dias.

Entretanto, o porta-voz talibã Zabiullah Mujahid desmentiu em conversa telefônica com a agência de notícias DPA as informações prestadas pelo governador, considerando-as propaganda das forças afegãs e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) para esconder seus fracassos militares em Marjah, no vizinho país da Ásia Central.

O anúncio da detenção de dois líderes talibãs acontece três dias depois de as autoridades paquistanesas confirmarem a prisão do líder militar dos talibãs, mulá Abdul Ghani Baradar.

RW/dpa/afp
Revisão: Augusto Valente

Leia mais