1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

EUA confirmam contágio de zika por relação sexual

Autoridades de saúde do Texas notificam caso de infecção do vírus por contato sexual. Parceira do paciente havia viajado à América Latina. País já tem 51 casos de contaminação.

Autoridades de saúde do Texas, no sul dos Estados Unidos, confirmaram nesta terça-feira (02/02) um caso de transmissão por contato sexual do vírus zika, potencialmente perigoso para mulheres grávidas e em crescimento na América Latina.

"O paciente foi infectado com o vírus depois de ter tido relações sexuais com uma pessoa doente, que regressou de um país onde o vírus está presente", afirmou, em comunicado, o Serviço de Saúde de Dallas.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) contabilizaram, até o momento, 51 casos de vírus zika no país, mas este é o primeiro relacionado à infecção ocorrida por meio de transmissão sexual.

A diretora dos CDC, Anne Schuchat, já havia afirmado na semana passada que estavam sendo investigados um caso de infecção com vírus zika por transmissão sexual e outro em que o vírus foi detectado no sêmen de um homem que, duas semanas antes, tinha sido infectado.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou que a epidemia do vírus zika poderá afetar entre três a quatro milhões de pessoas no continente americano. Brasil e Colômbia são os países onde se registram mais casos de infectados e de suspeitos.

O comitê de emergência da OMS decidiu na segunda-feira que os casos de microcefalia e de desordens neurológicas surgidas no Brasil constituem uma

emergência sanitária de alcance internacional

, mas não o vírus zika, por não ter sido comprovada uma relação entre ambos.

O vírus zika é transmitido aos seres humanos pela picada de mosquitos, principalmente o Aedes aegypti.

PV/lusa/rtr

Leia mais