1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Estrelas, prêmios e negócios na Feira Internacional de Música em Cannes

Três orquestras e conjuntos alemães levaram os prêmios de música clássica. O destaque, porém, ficou com as cantoras de música pop. Os representantes do mundo musical exigem que a Comissão Européia fomente rock e pop.

default

A inglesa Geri Halliwell desfila sobre o tapete vermelho em Cannes

A juventude, representada por Britney Spears e Geri Halliwell, roubou a cena aos veteranos como Mick Jagger, na cerimônia de inauguração da Feira Internacional de Música Midem, em Cannes, no sábado. Ao lado de Kylie Minogue, Mylene Farmer e a Dido, elas deram um colorido especial à entrega dos prêmios NRJ Music Awards. A newcomerin inglesa Dido levou logo dois prêmios, pois seu primeiro álbum "No Angel" foi considerado o melhor do ano.

A Alemanha só conquistou prêmios no setor de música clássica. A Academia de Música Antiga de Berlim, a Orquestra de Câmara de Munique e o Conjunto Vocal da Saxônia receberam o Classical Award, o único prêmio internacional para gravações de música clássica. A academia de Berlim pela gravação dos Sinphonies Concertos de Carl Philipp Emanuel Bach. O conjunto da Saxônia destacou-se pelos motetos de Bach e a orquestra de Munique pelo "Concerto funebre" de Karl Amadeus Hartmann, com Isabele Faust no solo de violino.

A música emprega 600 mil pessoas na Europa

A feira propriamente começou neste domingo, com declarações a apelos. A indústria fonográfica e representantes da música européia exigiram fomento estatal para o rock e a música pop. Para incentivar o desenvolvimento musical na Europa, seria preciso dar uma chance às culturas musicais locais, assim como há incentivos para os filmes dos diversos países europeus, declararam organizações que representam os músicos, gravadoras e demais entidades ligadas ao mundo da música, em Cannes. A Comissão Européia deveria colocar os recursos do orçamento de cultura à disposição para essa finalidade.

Antes disso, a indústria fonográfica reuniu-se com representantes do setor no chamado European Music Office, do qual também participaram representantes da Comissão Européia. Se Bruxelas fomentar a música pop e o rock, ficará mais fácil para que os 60 mil músicos e membros da GEMA, a sociedade alemã de direitos autorais, apresentem sua música ao vivo em palcos europeus, disse o porta-voz da GEMA, Hans Herwig Geyer. Tais apresentações aumentariam as chances da música alemã no mercado internacional.

A indústria fonográfica e musical européia emprega mais de 600 mil pessoas, dos quais mais de 280 mil músicos. Seu faturamento total é calculado em 48 bilhões de euros (100 bilhões de reais) e sua parcela no mercado mundial de CDs e gravações de músicas é de quase um terço (30,2%). Os novos dados foram divulgados durante a Midem, em Cannes.