Estreia de Mesut Özil na seleção alemã encerra disputa entre alemães e turcos | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 11.02.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Estreia de Mesut Özil na seleção alemã encerra disputa entre alemães e turcos

Jovem meia de origem turca opta pela seleção da Alemanha e põe fim à disputa entre alemães e turcos. Decisão causa reações hostis de alemães descendentes de turcos.

default

Mesut Özil jogou nas categorias de base da seleção alemã

A estreia do jogador Mesut Özil, de 20 anos, na seleção alemã, domina as atenções antes da partida amistosa da equipe nacional contra a Noruega, nesta quarta-feira (11/02) em Düsseldorf.

A convocação do craque estava prevista para acontecer apenas em meados do ano, mas acabou antecipada pela Federação Alemã de Futebol (DFB). "Queríamos esclarecer as coisas. Esse era também o desejo de Özil. Ele não queria mais essa agitação", afirmou o secretário-geral da DFB, Wolfgang Niersbach.

Niersbach afirmou que não houve pressão da DFB sobre Özil. Já o técnico Joachim Löw disse ter dito ao jogador que a decisão deveria ser tomada em concordência com o seu meio familiar. "Trata-se da carreira e do futuro dele."

Meses de disputa

É o final de uma longa novela, fomentada pelo talento do jovem meia do Werder Bremen. Durante vários meses, os técnicos Löw e Fatih Terim, das seleções alemã e turca, disputaram a preferência de Özil, que nasceu em Gelsenkirchen, na Alemanha, filho de imigrantes turcos.

Fussballspieler Mesut Özil

Meia é destaque do Werder Bremen

Segundo o próprio jogador declarou à revista esportiva Kicker, o contínuo contato com Löw foi decisivo. "Ele me deu tempo e me deixou muito bem impressionado", disse Özil, que passou por todas as categorias inferiores da seleção alemã. Ele disse que o assédio dos turcos se intensificou após o convite para jogar pela Turquia, em setembro de 2008.

"Pensei muito nas últimas semanas, e conclui que o correto é jogar pela Alemanha", explicou Özil. "Nasci aqui e foi aqui que me tornei um jogador de futebol." O meia disse que vai "trabalhar duro" para conseguir um lugar na equipe e que espera colaborar para que alemães com histórico de imigração se identifiquem mais com a seleção alemã.

Hostilidades

O quanto o assunto é polêmico para a comunidade turca na Alemanha ficou claro com os comentários difamatórios postados por visitantes no site de Özil. O fórum da página de internet foi temporariamente desativado.

"Ele sabia que não seria uma decisão fácil e que receberia algumas hostilidades", comentou Löw. Nesta quarta-feira, Özil acabou sendo liberado pela DFB de compromissos com a imprensa. "Estamos tentando deixá-lo em paz", explicou o diretor da equipe alemã, Oliver Bierhoff.

Özil se dirigiu à comunidade turca na Alemanha logo após a convocação por Löw: "Não se trata de uma opção contra as minhas raízes turcas". De acordo com o meia, não foi uma decisão fácil. "A minha família e muitos amigos vieram da Turquia", lembrou.

"Agradeço o interesse da Turquia e peço que compreendam a minha decisão." Além de algumas hostilidades, Özil disse ter recebido também muitas mensagens de apoio à sua decisão, vindas de descendentes de turcos que moram na Alemanha. "Até mesmo de um político", assegurou.

Özil, que entregou seu passaporte da Turquia há dois anos, é o quarto jogador na seleção alemã que tem origem turca: os outros são Mustafa Dogan, Malik Fathi e Serdar Tasci.

Leia mais