1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Estrangeiros representam 10% da população alemã

Segundo Departamento Federal de Estatísticas, quase 8,2 milhões de pessoas de várias nacionalidades vivem no país, número 6,8% maior do que em 2013. Maioria dos novos moradores vem de países da União Europeia.

O número de estrangeiros na Alemanha alcançou um recorde. Segundo dados do Departamento Federal de Estatísticas da Alemanha (Destatis) divulgados nesta segunda-feira (16/03), quase 8,2 milhões de pessoas de diferentes nacionalidades vivem em território alemão – número mais alto já registrado desde o início da série, em 1967. Os estrangeiros já representam 10% da população do país.

O número de imigrantes na maior economia da Europa vem aumentando nos últimos anos. Em 2014, a população estrangeira cresceu 6,8% em relação ao ano anterior, com a entrada de 519,3 mil pessoas de diferentes nacionalidades no país. De 2012 para 2013, esse aumento havia sido de 5,8%, quando 419,9 mil estrangeiros ingressaram como imigrantes na Alemanha.

Ainda segundo o Destatis, 60% dos novos moradores estrangeiros provêm da União Europeia. Os maiores aumentos no número de imigrantes foram registrados entre cidadãos da Romênia (32,9%) e da Bulgária (24,8%).

O fluxo de imigrantes vindos de países duramente atingidos pela crise europeia, no entanto, vem retrocedendo, segundo o levantamento. O número de imigrantes espanhóis subiu apenas 8,3% – índice inferior aos 12,7% de 2013. Também houve queda no índice de novos residentes vindos da Grécia e da Itália. Enquanto em 2013 o aumento com relação ao ano anterior havia sido de 6,1% e 4,4%, respectivamente, em 2014 este índice ficou em 3,9% para os dois países.

Ao todo, o índice de imigrantes não europeus subiu 5%, com a chegada de 212,6 mil pessoas. A maior comunidade estrangeira que vive na Alemanha é de turcos, que respondem por um quinto de todos os imigrantes no país – índice em tendência de queda. Segundo o Destatis, essa queda deve-se à naturalização de cidadãos.

O levantamento reflete ainda a atual situação de instabilidade em algumas partes do globo. Entre os países de fora da UE, a Síria, que enfrenta uma guerra civil há quatro anos, foi o que registrou maior aumento no número de cidadãos que chegaram à Alemanha. Foram 61,3 mil imigrantes sírios em 2014, um aumento de 107,7% com relação ao ano anterior.

MSB/dpa/kna

Leia mais