Estrangeiros levam quatro aeroportos por R$ 3,7 bilhões | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 16.03.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Estrangeiros levam quatro aeroportos por R$ 3,7 bilhões

Alemã Fraport leva terminais de Fortaleza e Porto Alegre, francesa Vinci Airports fica com Salvador, e suíça Zürich arremata Florianópolis. Empresas terão ainda de investir R$ 6,6 bilhões em modernização e ampliação.

default

Prazo de concessão dos quatro aeroportos variam entre 25 e 30 anos

O governo federal arrecadou nesta quinta-feira (16/03) 1,46 bilhão de reais com a concessão dos aeroportos de Porto Alegre, Salvador, Florianópolis e Fortaleza, o que representa um ágio de 94% sobre o valor inicial mínimo que esperava arrecadar. Esse valor deve ser pago à vista na assinatura do contrato. Se for considerado todo o período de concessão, o valor arrecadado sobe para 3,72 bilhões de reais, o que equivale a um ágio de 24% sobre o mínimo esperado.

O grupo alemão Fraport (Frankfurt Airport Services) adquiriu as concessões dos aeroportos de Fortaleza por um valor total de outorga de 1,5 bilhão de reais (425 milhões na assinatura) e de Porto Alegre por um total 383,5 milhões de reais (290,5 milhões à vista).

O aeroporto de Salvador foi concedido à francesa Vinci Airports, com uma oferta de 1,59 bilhão de reais (660,9 milhões na assinatura do contrato), e o de Florianópolis ficou com a suíça Zürich International Airport AG, com uma oferta de 242,3 milhões de reais (83,3 milhões no ato).

O leilão na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) marcou a primeira rodada de concessões do governo do presidente Michel Temer. O número de concorrentes ficou abaixo do de rodadas anteriores. A forte presença de empresas estrangeiras se deve aos desenvolvimentos da Operação Lava Jato, que revelou esquemas de corrupção envolvendo as principais construtoras do país.

Os quatro terminais respondem por 11,6% dos passageiros que circulam no território nacional e por 8,6% das aeronaves do tráfego aéreo brasileiro. Os prazos de concessão são de 25 anos, prorrogáveis por mais cinco, no caso do aeroporto de Porto Alegre, e de 30 anos prorrogáveis por mais cinco para os outros três aeroportos. 

Além de pagar pela concessão, os vencedores do leilão terão de fazer investimentos que, no total, chegam a 6,6 bilhões de reais. As empresas terão que fazer melhorias imediatas, como atualização de sinalizações, e investir na ampliação dos terminais de passageiros, pátios de aeronaves e estacionamentos. No aeroporto de Salvador, a exigência é de construção de uma nova pista de pouso e decolagem, e, no de Florianópolis, de um novo terminal de passageiros e de um estacionamento.

Outros cinco aeroportos brasileiros já foram concedidos à iniciativa privada: os terminais de Brasília, Guarulhos (SP), Viracopos (Campinas), Galeão (RJ) e Confins (MG).

KG/abr/ots

Leia mais