″Estado Islâmico″ treina pilotos para voar em caças capturados na Síria | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 17.10.2014
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

"Estado Islâmico" treina pilotos para voar em caças capturados na Síria

Segundo ONG, ex-militares iraquianos estão treinando jihadistas em três jatos que pertenciam ao Exército sírio. Os voos estariam se realizando perto de Aleppo, cidade no norte do país e sob domínio do EI.

Militantes do "Estado Islâmico" (EI) estariam sendo treinados por ex-oficiais do Exército iraquiano para pilotarem caças de guerra, divulgou nesta sexta-feira (17/10) o diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos, Rami Abdulrahman.

Os voos estariam sendo realizados a partir do aeroporto militar de Aleppo, cidade no norte da Síria que está sob o domínio do EI. "Eles têm treinadores, oficiais iraquianos que antes foram pilotos para [o ex-presidente iraquiano] Saddam Hussein", disse Abdulrahman.

Sua ONG opera do Reino Unido e possui uma rede de informantes na Síria. Citando justamente algumas destas testemunhas, ele afirmou que as três aeronaves capturadas são provavelmente caças russos mais antigos, do tipo Mig 21 e 23, que pertenciam às Forças Armadas sírias.

"Testemunhas viram os voos, eles voaram várias vezes a partir do aeroporto, e estão voando em área fora do aeroporto e retornando", acrescentou Abdulrahman. Ele afirmou que esta é a primeira vez que os terroristas do EI buscam combater por ar, mas não soube dizer se os caças estavam equipados com armamento e nem se os pilotos poderiam voar longas distâncias.

Sucesso dos curdos

No combate na cidade síria de Kobane, perto da fronteira com a Turquia, os combatentes curdos, com o apoio dos ataques aéreos da coalizão internacional liderada pelos EUA, conseguiram recuperar uma parte da cidade. Segundo o vice-secretário de Relações Exteriores do governo curdo da província de Kobane, Idris Nassan, os jihadistas têm apenas 15 a 20% da cidade fronteiriça sob controle.

Há uma semana, falava-se de cerca de 40%. Um ativista curdo afirmou também, que na madrugada desta sexta-feira a coalizão teria executado cerca de seis ataques aéreos sobre bases de jihadistas no leste da cidade.

PV/dpa/rtr/afp

Leia mais