1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

"Estado Islâmico" chama autores do atentado em Paris de heróis

Comunicado transmitido por emissora ligada ao grupo jihadista elogia terroristas por "vingar o profeta Maomé" em ataque ao semanário francês "Charlie Hebdo".

A estação de rádio da organização terrorista "Estado Islâmico" (EI) chamou nesta quinta-feira (08/01) de "heróis" os responsáveis pelo atentado ao semanário satírico Charlie Hebdo, no qual morreram 12 pessoas na quarta-feira, em Paris.

"Heróis jihadistas mataram 12 jornalistas que trabalhavam para a revista francesa Charlie Hebdo e feriram mais de dez pessoas para vingar o profeta [Maomé]", disse o comunicado lido na rádio Al-Bayan. Na verdade, os jornalistas mortos foram oito.

Dos três suspeitos do atentado, o jovem Hamyd Mourad, de 18 anos, apresentou-se em Charleville-Mézieres, cerca de 230 quilômetros ao norte de Paris. Mourad disse ter visto seu nome "circulando nas redes sociais" e afirma ser inocente. Ele não foi identificado em nenhum dos vídeos que registraram o ataque, mas é suspeito de cumplicidade.

Apesar do comunicado, nenhuma organização terrorista reivindicou a autoria do massacre. Testemunhas em Paris, relataram que os fugitivos Said e Cherif Kouachi, de 34 e 32 anos, gritaram: "Diga à imprensa que essa é a Al Qaeda no Iêmen".

Os irmãos Kouachi, que aparecem encapuzados numa gravação de vídeo fora do prédio, executando um dos policiais, seguem sendo caçados pela polícia francesa, incluindo a unidade antiterrorista da polícia francesa (Raid) e a unidade de operações paramilitares especiais (GIGN). Até agora, sete pessoas foram presas durante as buscas pela dupla.

PV/afp

Leia mais