1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

"Estado Islâmico" ameaça matar dois reféns japoneses

Organização terrorista exige pagamento de 200 milhões de dólares de resgate. Valor é o mesmo prometido pelo premiê Shinzo Abe em ajuda não militar para o Oriente Médio. Autencidade do vídeo ainda não foi confirmada.

A organização terrorista do "Estado Islâmico" (EI) publicou um vídeo na internet, nesta terça-feira (20/01), afirmando mostrar dois prisioneiros japoneses e ameaçando matá-los a menos que o valor de resgate de 200 milhões de dólares seja pago.

Um homem vestido de preto e com uma faca na mão aparece junto de dois outros, ajoelhados e vestindo roupas laranjas. O terrorista pede que a opinião pública japonesa pressione o governo local a parar com o apoio "tolo" à coalizão internacional, que trava uma campanha militar contra o "Estado Islâmico".

No vídeo, os dois homens são chamados de como Haruna Yukawa e Kenji Goto. Em Tóquio, o Ministério das Relações Exteriores anunciou que estava verificando a veracidade do material. Goto é um jornalista freelancer e escreveu livros sobre aids e crianças em zonas de guerra do Afeganistão à África.

Goto ajudou Yukawa a viajar para o Iraque no ano passado. Yukawa, de 43 anos, viajou ao Oriente Médio depois de dizer a amigos e familiares que esta seria a última chance de mudar de vida. Ao longo da década anterior, ele perdeu um negócio por falência, viu sua esposa morrer de câncer e se tornou um sem-teto, segundo contou seu pai em relato à imprensa janponesa.

O vídeo não foi datado, porém, em uma visita ao Cairo, em 17 de janeiro, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, prometeu 200 milhões de dólares em assistência não militar para países que lutam contra o EI.

Abe, que nesta terça-feira esteve em Jerusalém, última etapa de uma turnê de seis dias no Oriente Médio, afirmou que a ameaça do "Estado Islâmico" em matar os dois supostos presos japoneses é "inaceitável".

"Estou extremamente indignado com tal ato. Exigimos fortemente a liberação dos cidadãos japoneses ilesos", disse Abe. "A comunidade internacional precisa responder com firmeza e coopera sem sucumbir ao terrorismo."

O premiê japonês, no entanto, garantiu que, apesar da ameaça do EI, a ajuda será paga conforme prometido. "Esta postura [vídeo do EI] não vai mudar nada", disse ele, ressaltando que o dinheiro era para ajudar deslocados e desabrigados devido aos conflitos no Iraque e na Síria.

PV/rtrafp

Leia mais