Espanha mostra como se faz e goleia Ucrânia por 4 a 0 | Fique informado sobre tudo o que acontece na Copa do Mundo | DW | 14.06.2006
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Espanha mostra como se faz e goleia Ucrânia por 4 a 0

Espanhóis mostraram o futebol ofensivo que se havia esperado do Brasil e aplicaram uma lição na novata Ucrânia com a maior goleada da Copa. Atacante Villa, do Valencia, brilha com dois gols.

default

David Villa, da Espanha, é destaque da partida com dois gols

O prêmio recorde de 800 milhões de euros prometido pela Confederação Ucraniana de Futebol pela conquista do Mundial de 2006 parece não ter sido a motivação certa para a equipe do Leste Europeu.

Os 38.898 torcedores no Zentralstadion – entre eles o príncipe Filipe e princesa Letízia, da Espanha, que assistiram ao jogo ao lado de Franz Beckenbauer, e o pugilista ucraniano Vladimir Klitschko, campeão mundial na categoria dos pesos pesados – viram uma Ucrânia passiva, sem qualquer chance contra a alta velocidade, criatividade e pontaria do ataque espanhol.

A Espanha começou pressionado e Xabi Alonso abriu o placar aos 13 minutos, aproveitando cobrança de escanteio pela esquerda. Quatro minutos depois, Villa cobrou falta da entrada da área, a bola desviou na barreira ucraniana e enganou o goleiro Shovkovsky: 2 a 0.

Na seqüência, a Espanha diminuiu um pouco o ritmo, não só por causa da temperatura de 30ºC, mas também já pensando em administrar o resultado. Mas nem mesmo nos últimos 15 minutos da primeira etapa, quando tiveram mais tempo e espaço para tramar suas jogadas, os ucranianos conseguiram sair de sua passividade e levar perigo ao gol de Casillas.

Até o intervalo, a Ucrânia esteve longe de seu desempenho nas eliminatórias. O setor mais fraco da equipe foi o meio-campo, com Gusin e Tymoshchyuk, que não conseguiu fazer a conexão com o ataque, onde Shevchenko, isolado, ficou esperando em vão por lançamentos.

Logo no início do segundo tempo, a Ucrânia ainda foi enfraquecida pela expulsão de Vashchuk, que derrubou Torres dentro da área. Villa cobrou a penalidade máxima, ampliando o placar para 3 a 0.

A seleção ucraniana não cedeu, correu atrás do resultado, mas não conseguiu marcar gols. Mesmo com algumas substituições, o time não conseguiu se encontrar em campo e pressionar os espanhóis.

Na fase final, a equipe do técnico Luis Aragonés reduziu o ritmo e passou o tempo sob ovação da torcida espanhola. A dez minutos do apito final, Torres fechou o marcador com um chute forte da entrada da área, pelo lado esquerdo, encerrando a maior goleada da Copa até agora. Os espanhóis deram uma lição de futebol para o ucranianos.

ESPANHA 4 x 0 UCRÂNIA

Espanha
Casillas - Sergio Ramos, Pablo, Puyol, Pernía - Alonso, Senna, 8 Xavi - Luis Garcia (Fabregas), David Villa (Raul), Torres
Técnico: Luis Aragonés

Ucrânia
Schowkowski - Yeserski, 6 Russol,Vaschtschuk, 2 Nesmatschni - Gusin ( Worobey), 4 Timoschuk, 9 Gusev (Schelayev), Rotan (Rebrov)- 10 Voronin - Shevchenko
Técnico: Oleg Blokhin

Data:
14/06/2006
Local: Zentralstadion, em Leipzig
Horário: 15h (10h de Brasília)
Árbitro: Massimo Busacca (Suíça)
Auxiliares: Francesco Buragina e Matthias Arnet (ambos suíços)
Cartões amarelos : Rusol e Jeserski (ambos da Ucrânia)
Gols: Xavi, Villa (2) e Torres – todos da Espanha

Leia mais