1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Espanha estreia com vitória tranquila sobre o Uruguai

Apesar do placar magro, seleção espanhola impõe tradicional toque de bola e não dá chance aos uruguaios, que esboçam reação, mas esbarram em dia pouco inspirado de sua dupla de ataque. Torcida vaiou a Fúria.

Quem esperava ver neste domingo (17/06), no Recife, a partida mais equilibrada da primeira rodada da Copa das Confederações viu um jogo de um time só. Durante os 90 minutos, a Espanha em nenhum momento teve o controle do jogo ameaçado pelo Uruguai e, com gols de Pedro e Soldado, estreou de forma tranquila em busca do único grande título que ainda não conquistou.

Foram 71% de posse de bola para os espanhóis e 16 chutes a gol contra apenas quatro do Uruguai, que praticamente não levou perigo à meta de Ilker Casillas. O ataque celeste, por sinal, teria passado quase despercebido não fosse pelo gol de Luis Suárez, de falta, já no fim do segundo tempo.

A primeira vitória da Espanha sobre o Uruguai em jogos oficiais foi recebida com provocação por parte da torcida na Arena Pernambuco, que várias vezes vaiou o time de Vicente del Bosque e chegou a esboçar gritos de apoio à Celeste. O técnico admitiu que, no fim, a equipe, ao ver o jogo sob controle, reduziu o ritmo.

"É normal que, no final, baixemos um pouco o ritmo", disse Del Bosque ao fim do jogo. "Mas não jogamos bem apenas no primeiro tempo, como também no segundo. São três pontos que nos colocam mais perto de ir às semifinais."

As duas seleções, que estão no grupo B da competição, voltam a campo apenas na próxima quinta-feira. A Espanha para enfrentar o Taiti no Maracanã, e o Uruguai para jogar com a Nigéria na Fonte Nova, na Bahia.

Jogo de um time só

A Espanha entrou em campo com jogadores praticamente apenas de Real Madrid e Barcelona. Foram sete da equipe catalã e três do time da capital. A exceção foi o atacante do Valência Roberto Soldado, que aproveitou o jogo deste domingo para confirmar a boa fase.

Os espanhóis assumiram o controle da partida desde o início. Logo aos 9 minutos, Fábregas recebeu após corta-luz de Iniesta e acertou a trave esquerda de Muslera. Logo depois, foi Soldado que assustou os uruguaios, mas seu chute acabou parando nas mãos de Muslera.

O primeiro gol saiu num lance de sorte. Aos 19 minutos, Pedro dominou uma bola rebatida pela zaga após escanteio e bateu de fora da área. O chute desviou em Lugano e enganou Muslera. Os espanhóis ampliaram cerca de dez minutos depois, com Soldado, que, sozinho na grande área, recebeu grande passe de Fábregas e chutou firme, sem chances para o goleiro.

O gol foi o sexto de Soldado em dez jogos pela Fúria, que, com o atacante do Valência em campo, venceu todas as partidas que disputou.

O placar só não terminou mais amplo antes do intervalo porque, já aos 43 de jogo, o goleiro uruguaio fez grande defesa em cabeçada frontal de Sérgio Ramos após cobrança de escanteio. Ao longo dos 45 minutos da primeira etapa, o Uruguai não teve uma única chance real de gol.

Confederations Cup

Casillas pula, mas não alcança a bela cobrança de falta de Suárez: reação tardia dos uruguaios

O Uruguai voltou do intervalo com tarefa difícil – a Espanha não desperdiça uma vantagem de dois gols desde 1994. E, em nenhum momento, chegou de fato a colocar em risco a vitória espanhola.

O jogo ameaçou esquentar aos 25 minutos do segundo tempo, após duas faltas duras dos espanhóis no meia Lodeiro, que entrara no segundo tempo. Já com Forlán em campo, os uruguaios chegaram a tentar esboçar uma reação, mas não conseguiram assustar de fato Casillas.

O gol da Celeste saiu já aos 43 do segundo tempo, fruto mais do talento de Suárez, que acertou bela cobrança de falta, do que do jogo coletivo. O 2 a 1 motivou a torcida e os uruguaios, que pararam, no entanto, no toque de bola espanhol. O time de Del Bosque teve chances ainda de ampliar o marcador e terminou o jogo tendo dado quase 90% de passes certos.

Ficha técnica:

Local: Arena de Pernambuco

Arbitragem: Yuichi Nishimura (Japão), auxiliado por seus compatriotas Toru Sagara e Toshiyuki Nagi

Gols: Pedro (19 do primeiro tempo); Soldado (31 do primeiro tempo); Suárez (43 do segundo tempo)

Cartões amarelos: Lugano, Cavani (Uruguai); Piqué, Arbeloa (Espanha)

Espanha: Ilker Casillas; Álvaro Arbeloa, Sérgio Ramos, Gerard Piqué e Jordi Alba. Sergio Busquets, Xavi Hernández (Javi Martínez) e Andrés Iniesta; Cesc Fábregas (Santiago Cazorla); Pedro (Juan Mata) e Soldado. Técnico: Vicente del Bosque.

Uruguai: Fernando Muslera; Maximiliano Pereira, Diego Lugano, Diego Godín, Martín Cáceres; Gastón Ramírez (Álvaro González), Walter Gargano (Nicolás Lodeiro), Diego Pérez (Diego Forlán), Cristian Rodríguez; Luis Suárez e Edinson Cavani. Técnico: Óscar Tabárez.

Leia mais