Espanha declara estado de emergência devido a greve no tráfego aéreo | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 04.12.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Espanha declara estado de emergência devido a greve no tráfego aéreo

Após os controladores aéreos terem entrado em greve sem advertência prévia, as Forças Armadas espanholas assumiram controle do tráfego aéreo. Estado de emergência permite condenação de grevistas a vários anos de prisão.

default

330 mil passageiros sem voo

O governo espanhol declarou estado de emergência neste sábado (04/12), reagindo assim ao caos provocado pela grave não anunciada dos controladores aéreos no país, iniciada no fim da tarde de sexta-feira. O ministro espanhol do Interior, Alfredo Pérez Rubalcaba, exigiu que os controladores voltem ao trabalho, ameaçando-os com processos judiciais que poderão culminar em penas de prisão.

Segundo comunicou Rubalcaba, a declaração do estado de emergência iguala – do ponto de vista jurídico – controladores aéreos a militares, de modo que esses funcionários do tráfego aéreo passam a ser submetidos ao direito militar. Se os controladores em greve não retornarem ao trabalho, poderão ser processados por desobediência ao Estado e condenados – após rápido julgamento – a diversos anos de prisão.

Spanien Flughafen Stillstand NO FLASH

Passageiros à espera no aeroporto de Barajas, em Madrid

Centenas de milhares de pessoas sem voo

Na noite de sexta-feira, as Forças Armadas espanholas já haviam assumido o controle do espaço aéreo. A paralisação repentina levou ao fechamento de oito aeroportos, inclusive em importantes destinos de férias, como Ibiza e Palma de Mallorca. A economia do país depende bastante do turismo, que perfaz 11% do Produto Interno Bruto espanhol.

Um porta-voz da Fraport, companhia que administra o aeroporto de Frankfurt, anunciou que 14 voos tiveram que ser cancelados nesta sexta-feira. Também em Amsterdã e Londres, o tráfego aéreo foi bastante prejudicado. Até agora, no continente europeu, pelo menos 330 mil pessoas deixaram de viajar. A Iberia cancelou todos os seus voos até domingo de manhã.

Nas Ilhas Canárias, os aeroportos foram brevemente reabertos, mas voltaram a ser fechados logo depois. Alguns controladores aéreos que haviam retomado o trabalho acabaram abandonando seus postos novamente por pressão dos grevistas.

Entretanto, ao longo do sábado, dois terços dos grevistas acabaram retornando definitivamente ao trabalho, segundo informou o órgão estatal de inspeção de aeroportos Aena (Aeropurtos Españoles y Navegacion Aerea). De acordo com o ministro espanhol dos Transportes, José Blanco, o tráfego aéreo espanhol estará normalizado o mais tardar até segunda-feira.

Os controladores aéreos estão negociando salários e jornada de trabalho com a Aena. Desde o fim da ditadura na Espanha, há 35 anos, esta é a primeira vez que o governo declara estado de emergência. Isso confere ao Estado poderes adicionais, representando um estágio anterior ao estado de exceção.

SL/dapd/rtdt/dpa
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados