1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Escritor romeno recebe prêmio da Feira de Leipzig

Mircea Cartarescu é condecorado por trilogia que retrata os abusos da ditadura de Ceausescu. Premiação homenageia pessoas que trabalham pela compreensão entre os povos da Europa.

Na cerimônia de abertura da 50ª Feira do Livro de Leipzig, nesta quarta-feira (11/03), o autor romeno Mircea Cartarescu foi honrado com o Prêmio do Livro de Leipzig pelo Entendimento na Europa. Ele recebeu a premiação de 15 mil euros pela sua trilogia Orbitor. O prêmio anual distingue pessoas que trabalham pela compreensão entre os povos na Europa, especialmente nos países da Europa Central e Oriental.

A trilogia, composta pelos livros Os conhecedores (2007), O corpo (2011) e As asas (2013) – em tradução livre, pois ainda não foram traduzidos para o português – descreve os abusos e absurdos da ditadura de Nicolae Ceausescu, que governou a Romênia até a sua queda em dezembro de 1989. A narrativa se confunde com a história da própria família do autor na capital, Bucareste. "Meu livro é uma autobiografia, mas uma muito confiável", disse Cartarescu durante uma turnê literária pelos Estados Unidos, em 2013.

No entanto, Cartarescu afirma que nunca teve a intenção de escrever um romance realista sobre esse capítulo da história romena. Ele não se vê como um contador de histórias, mas como um poeta. Sonhos e pesadelos, elementos surreais e fantásticos permeiam sua trilogia. Na Romênia, Cartarescu é considerado um dos mais importantes inovadores da literatura contemporânea.

"Eu escrevo para superar essa época, para curar as feridas, para provar a minha própria liberdade interior", disse o autor, em entrevista à DW. "Basicamente, os livros falam de como preservar a liberdade interior num regime totalitário."

Na obra premiada, que o júri da Feira do Livro de Leipzig classificou como um "romance universal", Cartarescu trabalhou por 15 anos. Repetidamente o autor romeno enfatizou que ele escreveu cada palavra a mão, em cadernos, sem apagar nada e sem rasgar uma folha sequer. Cartarescu começou a escrever a trilogia durante o seu tempo como professor convidado de literatura em Amsterdã, em meados da década de 1990, e a finalizou quando era bolsista da instituição de artes Akademie Schloss Solitude, em Stuttgart, nos anos de 2006 e 2007.

PV/dw/dpa

Leia mais