1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Escada acima, escada abaixo pelas ruas de Marburg

Muralhas antigas, morros íngremes e muitas escadas dão a Marburg uma atmosfera especial. A cidade, conhecida principalmente por causa de sua universidade, é um destino turístico que vale a pena.

default

Visita ao castelo proporciona uma bela vista da cidade e do vale

A pequena Marburg e a grande Veneza: mesmo que a comparação seja um pouco exagerada, ela tem, de certa forma, seu charme. "Veneza é conhecida por suas milhares de pontes e Margurg, por suas escadas e ruelas", escreve a prefeitura da cidade em seu website.

A verdade é que Marburg mais parece um cartão-postal que uma cidade de verdade. As casas estão incrustadas no morro íngreme sobre o vale do rio Lahn, e o Castelo do Conde (Landgrafenschloss) está tão elevado que nem mesmo as torres da Igreja de Santa Isabel (Elisabethkirche), que possuem 80 metros de altura, não atrapalham a paisagem na hora de fotografar o vale do alto.

Ver Marburg do alto é um must romântico: divagar numa tarde de verão no café acima do castelo e apreciar o pôr-do-sol lá de cima é uma experiência única.

Lugar preferido do Conde de Hessen

Antes de poder desfrutar a vista de cima, o turista tem que subir o morro.O criador de fábulas Jakob Grimm contava que em Marburg havia "mais escadas nas ruas que nas casas". Hoje, porém, grande parte das subidas para a cidade alta (Oberstadt) pode ser feita em elevadores, vários deles panorâmicos.

Turm des Rathauses von Marburg

Relógio da prefeitura histórica, uma das atrações

O castelo, que fica no alto de um morro de 287 metros de altitude, era, na Idade Média, o local preferido do Conde de Hessen, sendo, assim, uma espécie de berço desse estado alemão. O interior do castelo abriga hoje várias exposições e no parque que o circunda há, com freqüência, concertos e sessões de cinema.

A grande dica para quem visita o castelo é a Câmera Obscura: numa discreta cabana, são projetadas sobre uma mesa, através de um sistema de espelhos, imagens de toda a cidade. A exibição dura cerca de 20 minutos, sendo um tour virtual pela cidade. E ainda, de quebra, um rápido curso de ótica.

A cidade é a universidade

A Câmera Obscura foi criada há cinco anos por estudantes de Física, por ocasião dos 475 anos da Universidade de Marburg, a escola superior protestante mais antiga da Alemanha, que possui os mais antigos alojamentos para estudantes do país e de onde saíram nada menos que oito vencedores do Prêmio Nobel.

As faculdades, as organizações estudantis, bem como os arquivos e os museus da universidade estão espalhados por toda a cidade, que abriga também o Instituto Alemão de Ensino para Deficientes Visuais. "Marburg não tem uma universidade, Marburg é uma universidade", dizem os nativos.

A forte presença dos estudantes pode ser percebida nas pequenas lojas, cafés e bares da cidade. A afirmação de que Marburg teria a maior densidade de bares por metro quadrado é, porém, questionada por outras cidades alemãs, que reclamam o título para si. Morrer de sede em Marburg, no entanto, ninguém morre na "Taberna do Lahn", como diz uma canção estudantil.

Relicário vazio

Café-Schild in der Altstadt von Marburg

Fachada com os adornos característicos do enaximel de Hessen

Além de bares e escadas, Marburg possui ainda muitas casas em estilo enxaimel e é um destino de peregrinos. Acredita-se que a Elisabethkirche, o templo religioso gótico mais antigo da Alemanha, cuja construção se iniciou em 1235, tenha sido um exemplo para a construção da Catedral de Colônia.

Ela foi erigida sobre o túmulo de Elisabeth da Turíngia, nascida há 800 anos. O relicário da igreja encontra-se, porém, vazio: depois da Reforma Protestante, o Conde Philipp mandou enterrar as relíquias de sua antepassada em lugar desconhecido. A prefeitura histórica da cidade, construída em 1527 na Praça do Mercado (Marktplatz), também vale uma visita.

Nos arredores de Marburg há também muito o que conhecer: castelos, bosques densos e naturalmente as águas calmas do rio. Em dias de sol, vale a pena dar uma volta no lado oriental do Vale do Lahn. O novo Jardim Botânico, também incrustado nas montanhas, possui belos parques e estufas climatizadas, que abrigam espécies de flora tropical. Poucos metros adiante, a vista do alto do lado oposto ao castelo permite, da mesma forma, uma bela paisagem do Vale do Lahn.

Leia mais