1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Entenda quem está por trás dos protestos em Frankfurt

Unindo grupos de esquerda, movimento anticapitalista Blockupy convocou a manifestação que terminou em prisões e destruição diante da sede do BCE. Desde 2012, ele vem chamando atenção com atos no centro financeiro alemão.

Grupos contrários às políticas de austeridade europeias protestaram violentamente nesta quarta-feira (18/03) em Frankfurt durante a inauguração da nova sede do Banco Central Europeu (BCE). Confrontos dos ativistas com forças de segurança deixaram dezenas de policiais e ativistas feridos.

A manifestação foi promovida pelo Blockupy, uma aliança de mais de 90 organizações de esquerda, críticas do capitalismo e do sistema bancário. Entre elas estão sindicatos, grupos antifascistas, organizações estudantis, grupos antrracistas e feministas.

Qual o objetivo do protesto?

A aliança se define cada vez mais como uma rede europeia de movimentos variados. O objetivo é, dizem, "construir democracia e solidariedade de baixo para cima". O Blockupy luta contra uma política fiscal que prioriza um orçamento equilibrado (austeridade), assim como contra a política anticrise das "instituições" também conhecidas como parte da chamada troica: o Fundo Monetário Internacional (FMI), a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu (BCE).

Qual a diferença entre Blockupy e Occupy?

Occupy Frankfurt é um dos grupos que fazem parte do Blockupy e é um pouco mais antigo que ele. O modelo para o Occupy na Alemanha foi o movimento nova-iorquino Occupy Wall Street, que promoveu um acampamento no meio de Manhattan e manifestações contra o poder dos bancos.

Em Frankfurt, o Occupy acampou diante do antigo edifício do BCE, entre outubro de 2011 até sua retirada do local, em agosto de 2012. Sob o lema "Blockupy", o movimento Occupy e outros grupos críticos ao capitalismo anunciaram em abril de 2012 um bloqueio do bairro financeiro da cidade e uma manifestação com vários milhares de participantes. Durante os protestos, o Occupy teve que retirar seu acampamento por quatro dias, sendo autorizado a voltar, antes que a prefeitura de Frankfurt determinasse a desocupação do acampamento alguns meses mais tarde.

Frankfurt EZB Protest Blockupy

Ativistas do Blockupy sentam diante de cordão policlal em Frankfurt

O que o Blockupy critica no BCE?

A aliança acusa o BCE de promover a falência de países europeus, como a Grécia, com sua política de austeridade e servindo aos interesses dos credores internacionais e às custas do sofrimento da população grega.

Qual o papel do BCE para a Grécia?

É um papel bastante importante. Ele abastece os bancos gregos com bilhões de euros e também comprou títulos do governo grego, num momento em que o país não conseguia mais obter dinheiro no mercado de capitais. Atualmente, o BCE concede a bancos gregos empréstimos especiais de até 69,4 bilhões de euros. Assim, garante a sobrevivência dos bancos, que sofrem de saídas em larga escala de capital – preocupados, os gregos estão transferindo seu dinheiro para o exterior.

Sem essa ajuda, os bancos gregos iriam à falência, o país provavelmente teria que deixar a zona do euro e adotar uma moeda própria. O presidente do BCE, Mario Draghi, recentemente enfatizou: "Os empréstimos à Grécia estão agora em 68% do PIB grego e são, portanto, maiores do que em qualquer outro lugar na zona do euro." Como uma das três instituições da troica, o BCE também monitora a implementação das reformas acordadas entre os credores e Atenas.

O que há de verdade na acusação de que o BCE só ajuda bancos?

A tarefa do BCE é a estabilidade de preços. Para alcançar seu objetivo, ele pode fornecer dinheiro aos bancos, que, por sua vez, podem repassar, sob a forma de empréstimos, a empresas e consumidores. Em contrapartida, o BCE não pode ajudar diretamente o Estado grego e, por consequência, os cidadãos, pois violaria, assim, a proibição de financiamento público. Além disso, estaria transferindo ilegalmente o dinheiro dos contribuintes de outros países europeus para Atenas.

Por que a sede do BCE como alvo?

A nova sede do BCE é uma torre de vidro gigantesca e retorcida, concluída no final de 2014, depois de cerca de cinco anos de construção. Em novembro, os primeiros funcionários da instituição se mudaram para o edifício de 185 metros de altura.

No início de dezembro, o conselho de administração do BCE se reuniu pela primeira vez na nova sala de reuniões, no 41º andar do edifício. A nova sede até agora custou cerca de 1,3 bilhão de euros. De 1998 a 2014, o Banco Central Europeu era alojado, em regime de aluguel, na chamada Eurotower, no centro da cidade de Frankfurt.

O Tribunal de Contas Europeu recomendou que todas as instituições europeias ocupassem edifícios próprios, o que é mais barato a longo prazo.

Também devido aos protestos anunciados, o BCE optou por realizar a cerimônia de inauguração em um evento pequeno, para cerca de 20 convidados. De acordo com um porta-voz do BCE, em tempos de crise, a instituição quis realizar uma cerimônia de inauguração "apropriada".

Leia mais