1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Enfermeira espanhola infectada pelo ebola pode estar curada

Após primeiro exame de sangue dar negativo, novo teste é aguardado como confirmação de que paciente está livre da doença. Ela foi a primeira pessoa a contrair o vírus fora da África.

default

Teresa Romero, de 44 anos, foi infectada ao tratar de paciente que contreiu vírus na Libéria

Um exame de sangue realizado neste domingo (19/10) indicou que a enfermeira espanhola que havia sido infectada pelo ebola está livre do vírus, afirmou o governo espanhol. Um segundo exame ainda é necessário para confirmar o resultado negativo.

Os dados foram divulgados num comunicado do comitê especial criado pelo Executivo para acompanhar a crise do ebola na Espanha. “O estado de saúde da paciente evoluciona favoravelmente", informa a nota, acrescentando que o segundo teste seria realizado "nas próximas horas".

Outras três pessoas sob investigação estão à espera de um segundo resultado negativo: um viajante procedente da Nigéria, um cooperante das Canárias e um homem que usou a mesma ambulância que transportou a enfermeira, de 44 anos.

O hospital deve agora esperar mais 21 dias – período de incubação do vírus – para ter certeza de que as cerca de 50 pessoas que cuidaram da enfermeira não foram infectados durante o tempo em que ela ficou no hospital.

Romero foi internada em 6 de outubro no hospital Carlos 3º, em Madri, sendo a primeira pessoa infectada pelo ebola fora da África, onde o vírus matou mais de 4.500 pessoas. Ela contraiu o ebola ao tratar do religioso espanhol Miguel Pajares, que havia sido contaminado na Libéria e morreu em 12 de agosto.

Esforços internacionais

Alguns países conseguiram conter o surto, como a Nigéria, a nação mais populosa da África. Depois de 42 dias sem registrar novas infecções, espera-se que o país seja declarado livre do vírus mortal nesta segunda-feira.

Berlin World Health Summit 19.10.2014

Steinmeier defendeu o envio de uma missão civil da UE à África Ocidental

Também nesta segunda-feira, os ministros do Exterior da União Europeia (UE) se reunem em Luxemburgo para tentar elaborar uma nova estratégia para combater o surto, inclusive liberando mais recursos e enviando equipe especializada para a África.

Antes das conversações, o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, disse que o bloco deve considerar o envio de "uma missão civil da UE" à África Ocidental. "Isso iria oferecer uma plataforma para os Estados membros (da UE)" enviarem equipes médicas para a região, afirmou na Conferência Mundial da Saúde, em Berlim.

Um apelo mundial da ONU pediu quase 1 bilhão de dólares (785 bilhões de euros) para combater o ebola, mas até o momento, a quantia arrecada está foi de apenas 385,9 milhões de dólares, dados por governos e agências, e mais 225,8 milhões de dólares prometidos.

NM/afp/lusa

Leia mais