1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Encontro econômico Brasil-Alemanha reúne 450 empresários

Furlan fala em Berlim com lideranças alemãs para tentar reduzir déficit na balança comercial. Agronegócio e energias renováveis são os principais temas do encontro bilateral.

default

Furlan: déficit no comércio bilateral é um dos assuntos em pauta

Sob o slogan "Brasil e Alemanha – parceiros numa economia globalizada", 450 empresários dos dois países reúnem-se a partir deste sábado (08/07) até o próximo 11 de julho em Berlim. Em pauta estão assuntos relacionados à cooperação e ao comércio bilaterais, com destaque para as áreas de agronegócios, energias renováveis (biocombustíveis) e infra-estrutura.

Água no chope

Para o primeiro fim de semana está previsto um programa planejado inicialmente como grande festa, com vistas à sonhada final entre Brasil e Alemanha na Copa. A eliminação precoce do time de Parreira e a derrota alemã para a Itália na semifinal, porém, derramaram água no chope.

Assim, a convite do projeto "Alemanha, país de idéias", neste sábado, os empresários fazem um passeio de barco pelo centro de Berlim e, à noite, assistem num telão à beira do rio Spree à disputa do terceiro lugar entre Alemanha e Portugal.

No domingo, acontecem duas reuniões a portas fechadas: a da iniciativa teuto-brasileira do agronegócio, na Casa da Economia Alemã, onde também ocorre uma degustação de produtos brasileiros, e a da iniciativa bilateral de energia e infra-estrutura, num hotel da cidade. À noite, tem festa brasileira para assistir à final Itália x França em telão.

Furlan encontra-se com Glos

Bildgalerie Minister Michael Glos Wirtschaft

Ministro alemão da Economia, Michael Glos

As reuniões decisivas acontecem na segunda e terça-feiras (10-11/07). No primeiro dia, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, terá seu primeiro encontro com o ministro alemão da Economia, Michael Glos, com quem discutirá medidas para reduzir o déficit no comércio bilateral, que chegou a US$ 1,121 bilhão no ano passado.

Em seguida, participa da abertura oficial do encontro empresarial, num painel chamado "As perspectivas de cooperação econômica entre Brasil e Alemanha". No mesmo dia, Furlan almoça na Confederação da Indústria Alemã (BDI) e se encontra com o diretor financeiro do grupo ThyssenKrupp Steel, Peter Urban.

Workshops e encontros setoriais

Durante o encontro bilateral, acontece uma série de workshops e encontros setoriais na sede da BDI, onde serão discutidos, entre outros assuntos, a ampliação das relações comerciais, possibilidades de investimentos nos dois países, parcerias público-privadas (PPPs), cooperação tecnológica, indústria automobilística e biocombustíveis.

Furlan se encontrará também com a diretora da Agência Alemã de Cooperação (GTZ), Doris Thurau. Na noite da segunda-feira, ele participa da cerimônia de entrega do prêmio Personalidade Brasil-Alemanha 2006 ao presidente do conselho fiscal da Lufhansa, Jürgen Weber, e ao ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues.

Na terça-feira, no encerramento do encontro, o ministro participará da reunião plenária da comissão mista Brasil-Alemanha e de almoço oferecido pelo chefe da delegação alemã, Bernd Pfaffenbach, vice-ministro da Economia.

Ressaca antecipada

Planejado há dois anos, em Fortaleza, quando Brasil ainda era cotado como favorito absoluto ao título, esperava-se que o encontro de Berlim tivesse em torno de 800 participantes, muitos deles com ingressos para assistir à final da Copa. O fiasco da seleção canarinho em campo, porém, deixou os brasileiros de ressaca antes mesmo de desembarcarem na capital alemã.

Mesmo assim, os organizadores garatem que a eliminação da seleção não teve efeito negativo sobre o evento, para o qual cada participante paga uma taxa digna de ingresso de Copa: 480 euros. A entrada só para a "festa da final" (fora do estádio) custa 95 euros.

Leia mais