1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Encontradas colunas do precursor do Estádio Olímpico de Berlim

Achado tem grande valor histórico, pois retrata parte do estilo arquitetônico da Alemanha do início do século passado e relembra momentos marcantes do nazismo.

default

O Estádio Olímpico de Berlim em 1936

O Estádio Olímpico de Berlim é considerado o "coração do esporte" da capital alemã. Sede dos jogos do Hertha Berlim, o estádio é também palco tradicional das finais da Copa Alemanha. Em sua história, ficaram registrados momentos marcantes, como o dia em que Adolf Hitler teve que engolir as quatro vitórias do atleta negro norte-americano Jesse Owens, durante os Jogos Olímpicos de 1936.

Após a Segunda Guerra Mundial, o estádio tornou-se mais do que uma arena para eventos esportivos. Passou a ser tratado também como monumento histórico. Apesar de várias reformas desde então, o prédio carecia urgente de obras gerais. Até mesmo as arquibancadas ameaçavam desabar.

Não havia dúvidas de que o monumento histórico deveria ser preservado, mas quem pagaria para mantê-lo em pé? Após longas discussões, as obras de saneamento e modernização começaram em 2000, a cargo do escritório de arquitetura Gerkan, Marg & Partner. Os custos estimados em 240 milhões de euros estão sendo divididos pelo governo federal, por Berlim e pela construtora Walter Bau.

Agora, durante escavações, foram encontradas não só uma bomba da Segunda Guerra Mundial, mas também sete colunas do estádio anterior, construído em 1913 pelo arquiteto Otto March, pai de Werner March, que mais tarde ergueu o Estádio Olímpico para o regime nazista.

Em Atenas, tal achado arqueológico pouco teria chamado a atenção. Em Berlim, ele surpreendeu. No canteiro de obras oeste, ao lado do estádio, há um enorme buraco, com 10 metros de profundidade. Enterradas em areia, sete colunas estreitas de concreto.

"São da lateral do antigo parque aquático, ornamentado com colunas dóricas. Datam dos primeiros tempos das olimpíadas modernas e Berlim estava prevista para sediar os Jogos Olímpicos, mas, por causa da Primeira Guerra, eles só puderam ser realizados mais tarde", conta Peter Lemberg, do Departamento de Patrimônio Histórico de Berlim.

O velho Estádio Alemão, junto ao bosque Grunewald, era apenas uma das várias instalações esportivas erguidas no início do século 20, visando as olimpíadas. A arena projetada por Otto March possuía forma oval, semelhante à estrutura do estádio de Atenas. O projeto incluía ainda piscinas abertas.

Porém, para os Jogos Olímpicos de 1936 o complexo foi considerado pequeno e foi explodido. Ainda não se sabe por que as colunas permaneceram intactas e cobertas com areia. O governo berlinense investirá 80 mil euros para retirar as peças arqueológicas para conservação. No futuro, elas farão parte de uma instalação de arte, junto ao estádio, que reunirá outros objetos, como polêmicas esculturas do artista Arno Brekers, impregnado pelo nazismo.

Modernização - Retiradas, as colunas cederão espaço para um pavilhão subterrâneo para grandes eventos e uma garagem. As obras, iniciadas em 2000, estão previstas para terminar em 2004.

A reforma, no entanto, já está atrasada, devido à discussão entre o governo de Berlim e a construtora Walter Bau de quem deve assumir os gastos com a remoção do PCB, um material cancerígino, utilizado nos anos 70 para cobrir fendas. A retirada do revestimento custará 5,5 milhões de euros.

A Walter Bau está encarregada da obra e está ela própria investindo 45 milhões de euros na reforma. Em contrapartida, terá participação na gerência do estádio durante 13 anos.

Para aumentar a capacidade do Estádio Olímpico de 50 mil para 76 mil torcedores, sem precisar elevar suas arquibancadas e assim alterar sua aparência externa histórica, o campo terá seu nível rebaixado. Ou seja, em vez de crescer para cima, ele aumentará para baixo.

Cerca de 90 mil metros cúbicos de areia serão retirados do centro da arena para que o estádio ganhe mais 2,65 metros de profundidade e lugar para as novas arquibancadas. A operação será realizada em apenas três meses, após o fim da atual temporada e o início da próxima, durante o verão europeu. Além disso, o estádio será totalmente coberto.