1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Enchentes nos Bálcãs são as piores em mais de um século

Cerca de 40 pessoas morreram nos últimos dias, quando choveu o esperado para três meses. Bósnia e Sérvia foram os países mais afetados. Número de vítimas deve aumentar à medida que as águas baixarem.

Assistir ao vídeo 01:57

Enchentes deixam mortos nos Bálcãs

Cerca de 40 pessoas morreram nos Bálcãs em consequência das inundações dos últimos cinco dias – as piores registradas em 120 anos. Em três dias, choveu na região o esperado para três meses, afetando principalmente a Bósnia e a Sérvia. Segundo autoridades, o número de vítimas irá subir à medida que as águas baixarem.

Somente na cidade de Obrenovac, 30 quilômetros ao sudoeste da capital sérvia, Belgrado, já foram encontrados pelo menos 12 corpos. "A situação é catastrófica", afirmou o primeiro-ministro do país, Aleksandar Vucic.

Na Bósnia, autoridades haviam confirmado a morte de 19 pessoas até a noite deste domingo. Nove corpos foram encontrados na cidade de Doboj, após o que a polícia local chamou de um "tsunami". O primeiro-ministro do país, Zeljka Cvijanovic, comparou a destruição provocada pelas enchentes à Guerra da Bósnia, em que cerca de 100 mil pessoas morreram.

O governo da Croácia também confirmou a morte de uma pessoa e o desaparecimento de outras duas no leste do país, próxima à Bósnia e à Sérvia.

Além das mortes, outra preocupação atinge a região: o alto volume das águas na Bósnia provoca o risco de deslocamento de milhares de minas terrestres da Guerra da Bósnia – conflito entre sérvios, croatas e muçulmanos, de 1992 a 1995.

Estima-se que ainda haja cerca de 120 mil minas no país. Neste domingo (18/05), autoridades alertaram para a possibilidade dos explosivos se deslocarem centenas de quilômetros até o Mar Negro.

As enchentes também desencadearam mais de três mil deslizamentos de terra em toda a região dos Bálcãs, devastando cidades e aldeias. Dezenas de milhares de pessoas foram obrigadas a deixar suas casas — sendo, em alguns casos, resgatadas dos telhados das moradias com helicópteros.

A EPS, companhia de energia estatal da Sérvia, disse estar fazendo o possível para evitar mais danos à usina a carvão de Nikola Tesla, em Obrenovac – a maior do país. O prejuízo das enchentes para a usina já é estimado em mais de 137 milhões de dólares. As enchente provocaram corte de energia em 95 mil residências da Sérvia.

BWS/dpa/ap/rtr

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados