1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Empresas desistem de entrar na bolsa de valores

Duas fabricantes de semicondutores cancelaram o lançamento de ações na Bolsa de Valores de Frankfurt, gerando nova onda de pessimismo. Especialistas garantem que a situação deve mudar até meados do ano.

default

Expectativas voltam-se para o Postbank, o banco dos Correios

No começo do ano, a expectativa dos investidores alemães era enorme. Após o jejum de 2002, diversas empresas anunciaram que iriam lançar novas ações no mercado de capitais (IPO – Initial Public Offering, de acordo com o jargão das bolsas).

Era o prenúncio de uma nova era no mercado de capitais que amargou um período de retração com a crise econômica. Primeiramente, houve uma queda de novas emissões que culminou com a paralisação total em 2003, quando nenhuma empresa alemã arriscou o ingresso na bolsa de valores. A última vez que a Alemanha registrou situação igual foi há 35 anos, em 1968.

O otimismo inicial cedeu lugar ao ceticismo depois que consecutivamente duas empresas que haviam confirmado o ingresso na bolsa de valores acabaram desistindo na última hora de lançar ações.

Há duas semanas, a fabricante de chips X-Fab cancelou sua entrada no mercado de ações. Esta semana, foi a empresa de semicondutores Siltronic a recuar. “Insegurança no mercado financeiro”, foi a justificativa da Siltronic, que estrearia nesta sexta-feira no pregão.

A imprensa alemã confirmou que a situação no mercado de ações sofreu um novo baque após os atentados em Madri. Os preços das ações voltaram a cair. Além disso, os investidores já não arriscam tanto quanto antes e costumam evitar a aquisição de papéis de novatos na bolsa.

Novas esperanças

Especialistas lamentam que as duas empresas tenham desistido de ingressar no mercado de ações, o que, sem dúvida, teria sido uma injeção de ânimo na bolsa de valores. Apesar disso, não acreditam em pessimismo coletivo que resulte em uma desistência em massa.

A lista de candidatas da IPO conta com empresas de porte, como o Postbank, a empresa de navegação e turismo Hapag-Lloyd, a fabricante de sensores Sick e a fabricante de bicicletas MIFA, entre outros.

“Eu não acredito que depois de tanto empenho para ingressar na bolsa de valores os empresários mudem de idéia”, analisou Georg Hansel, diretor do departamento de emissão de ações do Deutsche Bank.

Certeza do sucesso

O Deutsche Post, aliás, pretende antecipar o lançamento no mercado de cerca de 50% de sua participação no Postbank. Inicialmente, o ingresso na bolsa de valores estava previsto para o segundo semestre do ano; agora, de acordo com jornal Süddeutsche Zeitung, já tem até data marcada, 21 de junho.

Com a antecipação, o Postbank será a primeira empresa a ingressar no mercado de ações da Alemanha desde 2002. “Estamos confiantes que nosso modelo de negócios de relativo baixo risco também será um sucesso na bolsa de valores”, disse Wulf von Schimmelmann, presidente do Postbank, baseado em análises do desempenho no mercado de ações de bancos com um modelo de negócio semelhante.

Leia mais