Empresas alemãs fazem uso ineficiente de redes sociais | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 23.08.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Empresas alemãs fazem uso ineficiente de redes sociais

Empresas alemãs utilizam cada vez mais redes sociais para chegar a seus clientes, cuja tendência é de desapontamento em relação a mensagens que se mais se assemelham a anúncios publicitários.

default

Saber abordar o cliente: problema das empresas alemãs

A empresa de consultoria BSI publicou recentemente um estudo segundo o qual aproximadamente dois terços dos alemães estão desapontados com a forma pela qual são interpelados por empresas do país através de redes sociais como o Facebook e o Twitter.

"Os executivos dessas empresas ainda não entenderam que a comunicação via Facebook ou Twitter tem que ser mediada e controlada. Eles estão usando essas redes para se tornarem parte do ecossistema da mídia, mas, na verdade, não têm nenhuma estratégia clara neste sentido", diz Nils Andres, diretor da BSI, em entrevista à Deutsche Welle.

E os clientes percebem isso. Na pesquisa em questão, 75% dos mil participantes disseram que falta um diálogo real entre as empresas e seus clientes, e 83% afirmaram que as empresas só fazem uso das redes sociais para disseminar suas ideias de marketing. "Da perspectiva do cliente, tudo não passa de um anúncio. Da perspectiva dos pesquisadores, não está claro o que as empresas têm feito", pondera Andres.

Inaptidão social

Das mil pessoas questionadas, 51% afirmaram usar as mídias sociais para fazer negócios e, destes, 61% apontam que as empresas alemãs não expressam realmente o que pretendem ao fazerem uso das redes. Em vários casos, salientam os clientes, o consumidor é simplesmente bombardeado com o número da hotline da empresa, nada mais do que isso.

Social Media soziale Netzwerke

Excesso de informação faz com que só estratégias bem pensadas sejam bem-sucedidas

"Empresas que têm sucesso ao lidar com os clientes no mundo real costumam fazer o mesmo nas redes sociais. Por outro lado, aquelas cujo nível de satisfação dos clientes são baixos confirmam sua imagem negativa nas redes virtuais", observa Andres.

Afogado em opções

A avalanche de opções de mídias, entre essas Facebook, Twitter, YouTube e blogs, indica que cada empresa precisa de uma estratégia bem pensada antes de se enveredar por esses caminhos, explica Christine Perkett, diretora de relações públicas da PerkettPR.

As empresas "têm realmente que pensar sobre suas metas de negócios e sobre o que pretendem com suas estratégias de comunicação e marketing, para aí introduzi-las nas redes sociais", diz Perkett.

Nils Andres, da BSI, acredita que as empresas alemãs estão ainda "nos primórdios" no que diz respeito ao uso de mídias sociais. "É um pouco frustrante ver isso, porque elas não são um fenômeno novo. O maior desafio para essas empresas é que ninguém realmente sabe quem é que vai lidar com as mídias sociais", conclui.

Autores: Sam Edmonds / Sean Sinico (sv)
Revisão: Augusto Valente

Leia mais