Empresa criadora do BlackBerry muda de comando para sair da crise | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 23.01.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Empresa criadora do BlackBerry muda de comando para sair da crise

Research in Motion, empresa canadense que revolucionou telefonia com o BlackBerry, escolhe alemão como novo presidente. Novo comando quer recuperar espaço perdido para iPhone e Android.

default

Aparelhos BlackBerry foram pioneiros entre smartphones

A empresa criadora do BlackBerry, a canadense Research in Motion (RIM), está sob nova direção. O alemão Thorsten Heins, ex-gerente da Siemens, assume o posto após a renúncia dos fundadores e presidentes Jim Balsillie e Mike Lazaridis, anunciada neste domingo (22/01).

Heins deixou a Siemens em 2007 para se juntar ao grupo canadense e, até chegar à presidência, exercia a função de chefe de operações. A RIM, que inovou o setor com o lançamento do BlackBerry, em 1999, tem perdido mercado rapidamente para as concorrentes. Descontentes com esse cenário, investidores pressionaram por mudanças.

"Há um momento na expansão de toda a empresa bem-sucedida em que os fundadores reconhecem a necessidade de passar o bastão a uma nova liderança", dizia o depoimento de Lazaridis. Aos 50 anos, ele passará a ser o vice-presidente do Conselho de Diretores da RIM e comandará um novo Comitê de Inovação da empresa.

Thorsten Heins BlackBerry

Thorsten Heins

Já Balsillie, também com 50 anos, continuará como membro de Conselho. "Eu concordo que esse seja o tempo certo de passar o comando a uma nova liderança e tenho completa confiança em Heins no time de administradores e na companhia", afirmou.

A queda do BlackBerry

A RIM lançou seu smartphone, a solução conhecida como BlackBerry, antes das concorrentes. Com a chegada do iPhone, da Apple, e de aparelhos equipados com outros sistemas operacionais – como Android –, a canadense não conseguiu manter a posição de liderança.

Especialistas avaliam que a RIM ficou para trás na corrida ao resistir à aplicação de telas touchscreen. A canadense também teria oferecido tarde demais aos seus consumidores – no começo do ano passado –  uma versão própria de tablet, o PlayBook.

Dados do setor mostram que, no último semestre de 2011, a fabricante do BlackBerry perdeu mercado nos Estados Unidos. Até novembro, Android era o smartphone mais popular entre os norte-americanos, usado por 46,9% dos consumidores desse tipo de aparelho. A Apple vinha em segundo lugar, com 28,7%, e o BlackBerry em terceiro, com 16,6%, sendo que em agosto essa taxa era de 19,7%.

Jim Balsillie und Mike Lazaridis von Research in Motion

Fundadores Balsillie e Lazaridis: hora de passar liderança à frente

Nova estratégia

A esperança é de que o novo líder alemão ajude a RIM a sair da crise. Ao ser anunciado como novo presidente da empresa canadense, Heins declarou estar "mais confiante do que nunca" de que o grupo está no caminho certo. Ele saudou o contínuo trabalho dos fundadores: "Eu divido essa filosofia e estou muito animado com o futuro da empresa."

Heins afirmou que a RIM dispõe de uma situação financeira estável, com aproximadamente 1,5 bilhão de dólares em caixa e um débito sob controle. Segundo o novo chefe, a companhia registrou receita de 5,2 bilhões de dólares no último trimestre, crescimento de 24% em relação ao trimestre anterior.

Com um número de usuários de BlackBerry estimado em 75 milhões, a fabricante afirmou ter boas expectativas com o lançamento do BlackBerry 10 e com a nova versão do tablet, o PlayBook 2.0. Sobre a reputação da empresa e a perspectiva futura, Heins ressaltou: "Nós aprendemos com esses desafios e eu acredito que somos fortes e nos tornaremos uma companhia mais forte como resultado."

NP/rts/afp/dapd
Revisão: Francis França

Leia mais