1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Emprego com um clique

Empresas alemãs recorrem cada vez mais à internet para recrutar funcionários.

default

Jornal deixou de ser a mídia ideal para anunciar e procurar emprego

Quando um cargo vaga numa empresa, a forma mais rápida e eficiente de preenchê-lo é através da internet. Quase 90% das maiores empresas alemãs já usam suas homepages para oferecer emprego; dois terços das firmas restantes pretendem seguir este exemplo em breve. Isso foi o que comprovou um estudo realizado pelo Instituto de Informática Econômica da Universidade de Frankfurt, em cooperação com o site "Monster", uma central de oferta online de empregos, subsidiária da empresa internacional de recrutamento de pessoal TMP Worldwide.

Candidato-padrão – O estudo sobre atuais tendências e inovações no método de recrutamento de pessoal investigou as práticas de oferta de emprego das mil maiores empresas alemãs. Dos pedidos de emprego dirigidos a estas firmas, 30% são encaminhados online; 60% chegam por e-mail, acarretando um trabalho ainda relativamente grande aos departamentos pessoais. Por outro lado, os formulários padronizados existentes nas homepages das firmas ou bolsas de emprego da internet facilitam bastante a avaliação do perfil do candidato.

A baixos custos – "O e-recruiting, ou seja, a contratação de pessoal via internet, está se propagando cada vez mais entre o empresariado", constata o professor Wolfgang König, do Instituto de Informática Econômica da Universidade de Frankfurt. Pedidos de emprego pela internet facilitam e agilizam o processo, possibilitando às firmas economizar tempo de trâmite e, sobretudo, altas despesas. São principalmente estas vantagens que levam as empresas a recorrerem ao e-recruiting, segundo confirmou uma outra enquete, realizada recentemente pelo instituto de pesquisa Psydata, de Frankfurt.

Às custas da imprensa – A drástica queda do número de anúncios em jornais, que vem ocasionando a maior crise da imprensa alemã desde a Segunda Guerra, deve-se – entre outras razões – ao fato de que é muito mais barato anunciar na internet. A oferta de empregos pela internet também é bem menos dispendiosa do que os anúncios impressos, mesmo quando feita fora do site das empresas. Além disso, o fator atualidade é bastante convincente, pois os cargos vagos podem ser anunciados imediatamente e os candidatos qualificados, selecionados com rapidez. O anúncio de uma vaga não preenchida pode ficar online 45 dias, em média, poupando o trabalho de republicá-lo, por exemplo, o que é outra vantagem adicional.

Sem esmero – Os departamentos pessoais das firmas recorreriam com mais freqüência à internet, caso a qualidade dos currículos enviados por internet fosse mais alta. Ao que parece, os pedidos eletrônicos de emprego são preparados com menos cuidado do que os tradicionais. No entanto, tudo indica que as empresas irão ampliar o uso da internet para empregar novos funcionários.