1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Embaixadas ocidentais nos países muçulmanos estão em alerta máximo

Estados Unidos e França fecharam ou elevaram a segurança em suas embaixadas e consulados em vários países muçulmanos. Também a Alemanha eleva medidas de segurança temendo protestos de fiéis islâmicos.

Embaixadas ocidentais ao redor do mundo preparam-se para o pior nesta sexta-feira (21/09), com a expectativa de milhares de manifestantes tomarem as ruas em países muçulmanos após os tradicionais sermões.

As sextas-feiras são um tradicional dia de oração nos países muçulmanos, e frequentemente os fiéis deixam as mesquitas para participar de protestos.

O governo dos Estados Unidos retirou funcionários de missões na Tunísia e no Sudão e fechou sua embaixada e consulados na Indonésia por causa de um filme considerado ofensivo ao Islã.

A França fechou embaixadas e escolas em 20 países muçulmanos por temer represálias por causa da publicação de desenhos representando o profeta Maomé pela revista Charlie Hebdo. Também a Alemanha elevou a segurança em suas embaixadas em países muçulmanos.

Protestos no Paquistão

No Paquistão, o governo decretou feriado nesta sexta-feira em honra ao profeta Maomé e em resposta à difusão do filme que ridiculariza Maomé. A decisão foi tomada ao fim de uma reunião do gabinete governamental, durante a qual os ministros colocaram de lado a ordem do dia para discutir o polêmico filme.

"Nós vamos enviar a mensagem ao resto do mundo de que os muçulmanos do Paquistão protestam contra o filme e não toleram uma única frase que humilhe o profeta", afirmou o ministro da Informação, Qamar Zaman Kaira.

Dois cinemas da cidade de Peshawar foram incendiados nesta sexta-feira por manifestantes irritados com a difusão do filme na Internet, disse a polícia. Uma pessoa foi ferida por um tiro do segurança de um dos cinemas. Ele abriu fogo contra a multidão, que saqueou e incendiou a sala, afirmou um responsável da polícia.

Cerca de 250 manifestantes dirigiram-se em seguida para um segundo cinema, que difunde filmes considerados obscenos por alguns radicais, e o saquearam e incendiaram.

EUA veiculam comercial no Paquistão

O presidente dos EUA, Barack Obama, tentou aliviar as tensões nesta quinta-feira com a veiculação de propaganda nas redes de televisão do Paquistão, condenando o polêmico filme A Inocência dos Muçulmanos.

A embaixada norte-americana em Islamabad gastou cerca de 70 mil dólares para veicular o comercial – estrelado por Obama e a secretária de Estado, Hillary Clinton –, no qual ambos condenam a mensagem divulgada pelo filme amador, especificou a porta-voz do Departamento de Estado, Victoria Nuland.

"Depois de o vídeo [anti-islâmico] ter sido divulgado, houve preocupação em muitas entidades políticas, incluindo no Paquistão, quanto à eventualidade de representar as perspectivas do governo dos Estados Unidos", afirmou Nuland aos jornalistas.

"Portanto, para conseguir atingir o maior número de paquistaneses – tanto quanto sei, terão sido atingidos cerca de 90 milhões com estes anúncios –, foi considerado que esta era a melhor forma", acrescentou.

Protestos contra o filme se disseminaram por cerca de 20 países e levaram à morte de pelo menos 28 pessoas – incluindo o embaixador americano na Líbia, Chris Stevens.

RO/dpa/dapd/rtr/afp/lusa
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais