1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Embaixada dos EUA é alvo de atentado suicida na Turquia

Ataque, que deixou dois mortos, ainda não foi reivindicado e colocou ambos os países em alerta. Suspeita inicial recai sobre radicais de esquerda.

Um atentado deixou dois mortos nesta sexta-feira (01/02) na embaixada americana em Ancara - um segurança turco da delegação diplomática e o próprio terrorista. O ataque, embora ainda não reivindicado, pôs as autoridades de Estados Unidos e Turquia em alerta.

Os primeiros relatos são de que, por volta das 13h (no horário local), o terrorista tentou invadir a embaixada, mas entrou em pânico ao passar pelo primeiro controle de segurança e detonou as bombas que levava presas junto ao corpo. A explosão foi ouvida a várias quadras da região do atentado, que concentra uma série de representações diplomáticas.

Os motivos que levaram ao atentado ainda não foram esclarecidos. A primeira hipótese, levantada pelo ministro do Interior turco, Muammer Guler, é de que a ação tenha sido realizada por um grupo radical de esquerda, como a Frente Revolucionária para a Libertação do Povo (DHKP), tida como terrorista pelo governo.

Não se descarta, ainda, que o ataque esteja ligado a radicais islamistas – na semana passada, a imprensa turca noticiou a prisão de um genro de Bin Laden em Ancara – ou a uma ação por parte de rebeldes curdos, que intensificaram as atividades no último ano em sua busca pela autonomia do sudeste do país.

Türkei USA Explosion vor der US Botschaft in Ankara

Equipes de resgate na embaixada americana, atingida pela explosão em Ancara

“Estamos tristes, é claro, com a morte de um de nossos seguranças. Mas o complexo da embaixada é seguro”, disse o embaixador americano em Ancara, Francis Ricciardone. “Continuaremos nossa luta contra o terrorismo juntos, e o acontecimento de hoje deixou claro que os dois países sofrem deste terrível problema.”

A Turquia, de maioria muçulmana, é um aliado próximo dos Estados Unidos e é considerado um membro-chave da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Na semana passada, começaram a ser instalados no país os primeiros mísseis Patriot enviados pela aliança para proteger o território turco de eventuais disparos da vizinha Síria.

É a terceira vez na última década que a Turquia enfrenta atentados com vítimas contra sedes diplomáticas. Em 2003, radicais islamistas realizaram ataques suicidas contra o consulado britânico, um banco inglês e duas sinagogas, deixando 58 mortos. Mais recentemente, em 2008, um atentado atribuído à al-Qaeda contra o consulado americano em Istambul matou três policiais – além de três terroristas.

RPR /afp/dpa/rtr
Revisão: Francis França

Leia mais