1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Em um dia, equipes de busca encontram mais de 20 corpos do voo da AirAsia

Após dia mais bem-sucedido de trabalho, total de vítimas resgatadas no Mar de Java já chega a 30. Mau tempo dificulta procura por caixas-pretas, que podem explicar causa do acidente.

Após quase uma semana de buscas pelas vítimas do voo QZ8501 da AirAsia, equipes de resgate tiveram o mais bem-sucedido dia de trabalho nesta sexta-feira (02/01), triplicando o número de corpos encontrados.

Dos 30 corpos recuperados até o momento no Mar de Java, 21 foram encontrados nesta sexta-feira, muitos deles por um navio da Marinha dos EUA. De acordo com Bambang Soelistyo, chefe da Agência Nacional de Resgate e Buscas da Indonésia, duas das vítimas encontradas ainda estavam presas com o cinto de segurança aos assentos do avião.

Além dos corpos, peças do Airbus A320-200 foram recuperadas nesta sexta-feira, de acordo com um oficial. O mau tempo, com chuva forte, vento e mar agitado, voltou a impedir a busca pelas caixas-pretas do avião, que devem revelar a causa do acidente ocorrido no último domingo.

"As ondas tinham entre 3 e 4 metros hoje, dificultando o transporte dos corpos para os navios e entre navios", disse Soelistyo. Ele afirmou que algumas embarcações dariam continuidade às buscas durante a noite.

Nesta sexta-feira, a operação de buscas multinacional, baseada em Pangkalan Bun, cidade no sul da ilha de Bornéu, foi reforçada por especialistas da agência de investigação de acidentes francesa BEA, que atua em todos os desastres envolvendo aviões da Airbus.

Os hidrofones da BEA – sofisticados dispositivos de detecção de som sob a água – e alguns equipamentos de sonar trazidos por outros especialistas internacionais não puderam ser usados nesta sexta-feira devido às grandes ondas.

O voo QZ8501, com 162 pessoas a bordo, sumiu dos radares cerca de uma hora depois de decolar do aeroporto internacional de Juanda, em Surabaia, na Indonésia, às 5h20 do último domingo (horário local). Ele deveria pousar quase três horas depois em Cingapura.

O piloto não emitiu um sinal de emergência. O avião desapareceu logo após o comandante solicitar permissão para subir da altitude de 32 mil para 38 mil pés, com o objetivo de desviar de nuvens densas, por causa do mau tempo.

LPF/rtr/ap

Leia mais