Em sua mensagem de Páscoa, Papa reivindica solução pacífica para a Líbia | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 24.04.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Em sua mensagem de Páscoa, Papa reivindica solução pacífica para a Líbia

Bento 16 lamentou que alegria pela ressurreição de Cristo seja ofuscada pela violência como na Líbia, e apelou à Europa para que acolha os refugiados de conflitos.

default

Bento 16 conclama fim do ódio e da violência

Sob um céu encoberto, Bento 16 celebrou neste domingo (24/04), no Vaticano, a Missa da Ressurreição, o ponto alto da Páscoa católica. O Papa fez um chamamento pelo fim do ódio e da violência, e pelo acolhimento dos que sofrem, especialmente em áreas de conflitos como no Oriente Médio, Líbia e norte da África.

"No céu, tudo é paz e alegria, mas na Terra infelizmente não", disse Bento 16 a dezenas de milhares de fiéis reunidos na Praça de São Pedro, festivamente decorada com flores da Holanda. A alegria da ressurreição de Cristo se opõe "ao sofrimento, fome, doenças, guerra e violência", acrescentou.

Consolo e esperança aos japoneses

O pontífice de 84 anos apelou ao fim da violência na Líbia. "Esperemos que na Líbia a diplomacia e o diálogo ocupem o lugar das armas", afirmou. Em relação ao Oriente Médio, ele pediu que a mensagem de paz e dignidade da Páscoa ajude a superar "a escuridão da divisão, do ódio e a violência".

Referindo-se à Costa do Marfim, pediu que seja iniciado "um caminho de reconciliação e entrega." Em sua mensagem, lembrou ainda especialmente as vítimas do terremoto, do tsunami e da crise nuclear no Japão, para as quais pediu que encontrem "consolo e esperança".

Como ponto alto da missa, que foi transmitida ao vivo para diversos países, o Papa pronunciou a bênção Urbi et Orbi em 65 idiomas.

RW/rte/dpa
Revisão: Augusto Valente