Em primeiro pronunciamento, Temer destaca recuperação econômica | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 12.05.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Em primeiro pronunciamento, Temer destaca recuperação econômica

Durante cerimônia de posse de ministros, presidente interino pede diálogo e união, além de prometer solucionar crise, criar empregos, acabar com a inflação e garantir continuidade da Lava Jato.

Assistir ao vídeo 04:06
Ao vivo agora
04:06 min

Principais momentos do discurso de Temer

Em seu primeiro pronunciamento após assumir a interinamente a Presidência, Michel Temer salientou nesta quinta-feira (12/05) seu compromisso com a recuperação econômica e a promoção da união do país, além de apontar ações que pretendem adotar durante seu governo.

"Nosso maior desafio é estancar o processo de queda livre na atividade econômica", destacou Temer, ao lado de seu ministério, formado exclusivamente por homens.

Sob aplausos dos presentes na cerimônia de posse dos novos ministros, o presidente interino afirmou que deseja resgatar a credibilidade do país, internamente e no exterior, e prometeu fazer as reformas necessárias para modernizar o país, e recuperar a economia, acabando com a inflação e criando empregos.

Temer defendeu ainda parcerias público-privadas, maior autonomia para estados e municípios, e garantiu que manterá programas sociais do governo petista, como o Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida, mas anunciou que fará as mudanças necessárias para aprimorá-los, sem alterar direitos adquiridos. "Temos pouco tempo, mas com esforço, é suficiente para fazer as reformas que o Brasil precisa", destacou.

No pronunciamento de quase meia hora, o presidente interino reiterou a urgência da pacificação do país para acabar com a crise. "O diálogo é o primeiro passo para enfrentarmos os desafios para avançar e garantir a retomada do crescimento. Ninguém, absolutamente ninguém, individualmente tem a solução para as reformas que precisamos realizar. Mas nós, governo, Parlamento e sociedade, juntos, vamos encontrá-las", disse Temer.

Citado por diversos delatores na Lava Jato, Temer resguardou a moral pública, afirmando que a operação que investiga o esquema de corrupção na Petrobras deve prosseguir, e disse que não interferirá em outros poderes.

Ao fim do pronunciamento, o presidente interino evocou a Deus e pediu bênçãos para estar "sempre a frente dos desafios" que tem pela frente.

Novo ministério

Temer discursou na cerimônia de posse dos novos ministros. Como presidente em exercício, o peemedebista reduziu para 23 o número de ministérios, que chegou a 32 no governo Dilma.

O presidente interino decidiu ainda recriar o Gabinete de Segurança Institucional e criou o Ministério da Fiscalização, Transparência e Controle, fechando a Controladoria-Geral da União. Ele anunciou também Fernando Coelho Neto, para o Ministério de Minas e Energia, e Hélder Barbalho, para a Integração Nacional.

Temer assumiu interinamente a Presidência da República, após o afastamento de Dilma Rousseff com a aprovação pelo Senado da admissibilidade do processo de impeachment. O peemedebista permanece no cargo, por no mínimo 180 dias, período no qual o Congresso decidirá sobre o futuro de Dilma no comando do país.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados