1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Em meio a críticas, Índia lança primeira missão a Marte

Sonda deve levar 300 dias para chegar ao planeta vermelho. Apesar do custo relativamente baixo, investimentos espaciais são criticados no país, que é um dos mais pobres do mundo.

A Índia lançou nesta terça-feira (05/11) sua primeira missão espacial ao planeta Marte, ao custo comparativamente baixo de 73 milhões de dólares. O foguete com a sonda Mangalyaan foi lançado do Centro Espacial Satish Dhawan, no sul do país.

Após 44 minutos, a sonda de 1,35 toneladas se desligou do foguete e entrou em órbita terrestre, onde ficará por quase um mês, até atingir a velocidade necessária para seguir sua rota.

Depois, a sonda terá de viajar cerca de 780 milhões de quilômetros até atingir a órbita de Marte, o que deve acontecer em setembro de 2014. A viagem até o planeta vermelho deve durar 300 dias.

Mangalyaan estudará a atmosfera e superfície de Marte em busca de metano, uma prova da existência de organismos primitivos. Se a missão for bem-sucedida, a Índia passará a integrar o seleto grupo de exploradores do planeta. Apenas Estados Unidos, Rússia e Europa conseguiram essa proeza.

O presidente da Índia, Pranab Mukherjee, parabenizou a Organização Indiana de Pesquisa Espacial (Isro, sigla em inglês) pelo projeto. "Esse dia representa uma mudança na história de nosso programa espacial, um dia que inspirará nossos cientistas a dar passos maiores para alcançar nossos objetivos nacionais no espaço", afirmou.

Indien Raumfahrt Mars Orbiter Mission

Lançamento foi transmitido ao vivo pela televisão

Tecnologia de baixo custo

Com um orçamento de 73 milhões de dólares, cientistas indianos levaram 15 meses para desenvolver a sonda. A quantia é a menor já gasta num projeto desse tipo.

Ela corresponde, por exemplo, a apenas uma pequena parte do investimento na missão espacial Maven, da Nasa, programada para começar este ano e que também vai explorar Marte. A 16,50 dólares, o quilo lançado ao espaço pelos indianos custa um décimo do valor da agência norte-americana.

Apesar dos baixos custos, o projeto foi muito criticado dentro do país, que sofre com a pobreza e a fome. Um terço dos pobres do mundo vive na Índia, e cerca da metade das crianças do país são subnutridas.

A Índia comemorou no ano passado 50 anos do início de seu programa espacial. Mas somente em 1975 foi lançando seu primeiro satélite, utilizando um foguete russo. Em 2008, o país enviou sua primeira sonda lunar e tem planos para lançar sua primeira missão espacial tripulada em 2016.

CN/rtr/dpa/afp/lusa

Leia mais