1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Em Israel, Steinmeier defende criação de Estado palestino

Durante encontro com Netanyahu, ministro alemão do Exterior diz que solução de dois Estados é necessária para garantir segurança na região e defende retomada das negociações de paz entre israelenses e palestinos.

Após encontro com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, o ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, afirmou neste domingo (31/05) em Jerusalém que a criação de "um Estado palestino viável e pacífico" é condição necessária para que Israel alcance a "segurança real e permanente".

Para Steinmeier, esforços devem ser feitos nesse sentido, "mesmo que a situação atual pareça extremamente difícil". O ministro alemão alertou que uma nova escalada militar na região seria ruim para ambos os lados.

O ministro alemão defendeu ainda a retomada das negociações de paz entre Israel e Palestina, paralisadas devido à exigência palestina para que o governo israelense interrompa a construção de assentamentos na Cisjordânia e no leste de Jerusalém. Israel, porém, rejeita qualquer precondição para iniciar as conversas.

Em resposta a Steinmeier, Netanyahu afirmou estar, a princípio, aberto a uma solução de dois Estados para o conflito com os palestinos. No entanto, o primeiro-ministro israelense, que lidera o governo mais à direita no país desde os anos 1990, afirmou que, primeiramente, é necessário haver condições adequadas para as negociações. No entanto, ele disse, "este não parece ser o caso atualmente".

Para o primeiro-ministro, os palestinos precisam, inicialmente, reconhecer Israel como "Estado nacional do povo judaico". Além disso, afirmou Netanyahu, os palestinos precisam aceitam medidas de segurança para prevenir ataques a territórios israelenses.

As negociações do acordo nuclear entre as seis potências mundiais (Estados Unidos, Reino Unido, França, China, Rússia e Alemanha) e o Irã também entraram na pauta do encontro. O primeiro-ministro de Israel disse que um tratado com Teerã ameaça a "paz mundial". O acordo visa limitar as atividades nucleares do governo iraniano.

Visita à Faixa de Gaza

No início da viagem de dois dias a região, Steinmeier reuniu-se com o presidente israelense, Reuven Rivlin. No encontro, o ministro disse que a relação entre os dois países é um "milagre" e um "tesouro especial" perante a história de horror do holocausto.

De Jerusalém, Steinmeier seguiu para Ramallah, onde fica a sede da Autoridade Palestina na Cisjordânia, para um encontro com o primeiro-ministro palestino, Rami Hamdallah. Na segunda-feira, o alemão fará uma visita à Faixa de Gaza, palco da guerra entre Israel e palestinos no ano passado.

CN/dpa/afp

Leia mais