1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Em declaração de governo, Merkel destaca planos para encontro do G20

Cúpula da próxima semana na cidade de Los Cabos, no México, deverá ter crise financeira como tema central. A Alemanha desempenha um papel-chave, porém, suas forças não devem ser superestimadas, alerta Merkel.

"As forças da Alemanha não são infinitas", disse a chanceler federal alemã, Angela Merkel, nesta quinta-feira (14/06) em Berlim. Em declaração de governo sobre a cúpula do G20 a ser realizada na próxima semana no México, Merkel defendeu suas polêmicas medidas em relação à crise da dívida do euro e alertou para o fato de a Alemanha ficar sobrecarregada.

Como a mais poderosa economia da Europa, a Alemanha desempenha um papel-chave na crise financeira, mas as forças do país não podem ser superestimadas. A premiê declarou que reafirmará tal posição durante a reunião do G20 a todos aqueles que "esperam da Alemanha a solução e que querem convencê-la sobre eurobônus, fundos de estabilidade, fundos de segurança europeus, bilhões adicionais e muito mais".

Merkel dedicou apenas alguns minutos de sua fala a temas relevantes no G20 como aquecimento global, combate à fome e livre comércio global. Concentrando-se sobre a crise, que promete ser tema principal da cúpula no México, a premiê afirma que esta poderá ser superada apenas se cortada pela raiz.

É preciso agir sobre "a enorme dívida e sobretudo a falta de competitividade de alguns Estados-membros, assim como sobre a falta de confiabilidade e credibilidade da Europa para seguir suas próprias regras", afirmou.

Responsabilidade e ação conjunta

Segundo Merkel, há 20 anos decidiu-se estabelecer na Europa uma união monetária e política, mas apenas a monetária se concretizou. Esse descaso deve agora ser recuperado, pediu a premiê.

A consciência sobre a responsabilidade conjunta também foi tema do debate que se seguiu no Parlamento alemão em torno do encontro das 20 mais importantes economias industrializadas e emergentes na cidade mexicana de Los Cabos, nas próximas segunda e terça-feira (18 e 19/06). A discussão entre os parlamentares após o pronunciamento de Merkel foi intensa, mas deixou claro de que todos sabem o quão séria é a crise financeira.

Chegou-se à situação atual, "porque fatos foram repetidamente ignorados, mudanças postergadas para o futuro, forças superestimadas e arriscados instrumentos de caráter financeiro aplicados", declarou Merkel.

Consolidar orçamentos

Para a premiê, é preciso deixar claro em Los Cabos que a zona do euro não é capaz de estabelecer sozinha as condições para um forte e sustentável crescimento econômico mundial. Merkel disse, fazendo clara referência aos Estados Undidos, que deixará muito claro no encontro que a consolidação dos orçamentos públicos deve ser um elemento essencial do plano de ação de Los Cabos para um maior crescimento econômico.

Em seu discurso, Merkel também elogiou a disposição da Espanha em buscar ajuda da Europa para solucionar seus problemas bancários. Segundo a chefe de Estado alemã, ainda há muito o que fazer em relação ao controle global dos mercados financeiros. "A Alemanha tem consciência da sua parte dessa responsabilidade global", concluiu a chanceler federal.

Merkel também pretende destacar o tema do protecionismo durante o encontro do G20. Para ela, barreiras comerciais prejudicam o crescimento. A Alemanha é a favor de que a moratória para novas barreiras comerciais, válida até o fim de 2013, seja prolongada.

LPF/dw/dpa/rtr
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais