1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Em Bagdá, Kerry promete apoio dos EUA no combate ao "Estado Islâmico"

Secretário de Estado americano viaja ao Oriente Médio para reunir aliados para a nova estratégia dos EUA na luta contra o EI. Em Bagdá, ele garante a reconstituição e treinamento do Exército do Iraque.

Dois dias após a posse do novo primeiro-ministro do Iraque, Haidar al-Abadi, o secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, visitou a capital iraquiana nesta quarta-feira (10/09). Em Bagdá, Kerry afirmou que o presidente dos EUA, Barack Obama, vai apresentar em breve um plano de batalha para combater o "Estado Islâmico" (EI).

Além disso, o secretário declarou que a reconstrução do Exército iraquiano faz parte da estratégia global de Obama. "O Exército do Iraque será reconstituído e treinado por meio de diversas estratégias diferentes, não só com a ajuda dos Estados Unidos, mas também de outros países", afirmou Kerry.

O político americano não deu detalhes dos planos, mas garantiu que nem os Estados Unidos nem o resto do mundo vão ficar parados observando os jihadistas espalhar o seu terror. "Tanto os Estados Unidos quanto o resto do mundo precisam apoiar essa batalha iraquiana", disse.

Em Bagdá, Kerry se encontrou com os novos líderes iraquianos e prometeu apoio americano no combate ao EI. O secretário anunciou a doação de 48 milhões de dólares para agências da ONU e outras organizações de ajuda humanitária. O dinheiro é destinado a aliviar o sofrimento das cerca de 1,8 milhão de pessoas que foram deslocadas pelo EI.

Apelo à comunidade internacional

O primeiro-ministro Abadi

aproveitou a visita para pedir ajuda da comunidade internacional na luta contra os radicais islâmicos. "É preciso agir rápido para barrar a expansão dessa úlcera cancerígena."

"É claro que é nosso papel defender nosso país, mas a comunidade internacional também tem a responsabilidade de proteger o Iraque e toda a região. O que está acontecendo na Síria está vindo para o Iraque. Há um papel para a comunidade internacional, para as Nações Unidas e para os Estados Unidos: agir imediatamente para parar essa ameaça", afirmou Abadi.

Kerry aproveitou a oportunidade para elogiar a nova liderança iraquiana e o compromisso assumido por ela no combate aos jihadistas e também em promover reformas políticas no país. "Nós estamos muito animados", declarou.

Bagdá foi a primeira parada de Kerry na viagem pela região para conseguir apoio para a nova estratégia americana no combate aos radicais islâmicos do EI, que controlam parte do Iraque e da Síria. O secretário afirmou que a manobra só será bem-sucedida com o apoio "de uma coalizão ampla de parceiros ao redor do mundo".

De Bagdá, Kerry seguiu para a Jordânia, onde se encontra com o rei Abdullah 2º. Nesta quinta-feira, o secretário se encontra na Arábia Saudita com representantes sauditas, além de lideranças do Kuwait, dos Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Catar, Jordânia, Egito, Turquia e Omã.

CN/rtr/dpa/afp/ap

Leia mais