Elenco e Buenos Aires brilham no filme ″O dia em que eu não nasci″ | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 30.09.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Elenco e Buenos Aires brilham no filme "O dia em que eu não nasci"

Rodado em Buenos Aires e estrelado por Jessica Schwarz, o elogiado drama "O dia em que eu não nasci" consagra o diretor Florian Cossen como uma das promessas do novo cinema alemão.

default

Jessica Schwarz e Michael Gwisdek em cena do filme

A memória foi a grande inspiração do diretor Florian Cossen para o seu primeiro filme, O dia em que eu não nasci (Das Lied in mir), que estreia nesta sexta-feira (30/09) no Brasil, depois uma bem sucedida carreira internacional e de levar os prêmios de público e crítica no festival de Montreal de 2010.

Szene aus dem Film Das Lied in mir

Drama tem como cenário a cidade de Buenos Aires

"Quando fui pela primeira vez a Buenos Aires, assim que sai do aeroporto tive uma sensação de déjà vu que durou alguns dias. Reconheci algo num lugar em que eu nunca havia estado", declarou o diretor à Deustche Welle. "Durante esse período eu decidi que queria fazer um filme em Buenos Aires. Uma cidade que eu ainda não conhecia, mas que me parecia tão familiar. Não me arrependi, nem por um minuto."

A canção em mim

No filme, Maria (Jessica Schwarz) é uma nadadora profissional. Rumo ao Chile, ela para em Buenos Aires para uma conexão. No aeroporto algo estranho acontece. Maria escuta uma canção de ninar e, mesmo sem falar uma palavra em espanhol, reconhece a canção. Perturbada e atraída pela situação, decide ficar na cidade.

szene aus dem Film Das Lied in mir

Filme estreia no Brasil

Confusa, Maria avisa seu pai (Michael Gwisdek) sobre o que aconteceu. Para surpresa dela, um dia depois ele aparece na cidade. Está na hora de revelar o que havia sido segredo por tantos anos: Maria fora adotada na cidade e levada para a Europa quando seus pais biológicos foram tidos como desaparecidos. Vítimas da ditadura militar, provavelmente haviam sido presos, torturados e executados.

Nascido em Israel, o diretor alemão Florian Cossen morou também na Espanha e no Canadá antes de voltar à Alemanha. Ele vivenciou algo parecido ao que acontece com a sua personagem. "Passei meus primeiros anos em Israel, e 25 anos depois voltei a estudar hebraico. Um dia reconheci uma canção que a professora havia cantado durante uma aula. Mesmo sem saber o significado, conseguia cantar algumas das palavras", contou Florian. "Parte do nosso cérebro guarda memórias que não nos lembramos. Acho isso fascinante."

Grande elenco

Outra grande virtude do filme são os atores. "Quando a diretora de elenco sugeriu Jessica Schwarz, eu e Elene Saucken, co-roterista do filme, nos apaixonamos à primeira vista. A partir daquele momento, os diálogos já carregavam a voz da atriz", disse o diretor.

Szene aus dem Film Das Lied in mir

As atrizes Jessica Schwarz e Beatriz Spelzini

Depois de viver o mito Romy Schneider no filme Romy, Jessica Schwarz brilha na pele da personagem Maria em sua jornada para relembrar o passado e desbravar o presente. "A jovem chega a Buenos Aires e não sabe quase nada sobre a Argentina. Não acredito ser uma vantagem quando o ator sabe mais do que o personagem que está vivendo", declarou Florian, que não permitiu à atriz se informar muito sobre o país e principalmente sobre os negros anos da ditadura militar.

Já o veterano Michael Gwisdek encontra o equilíbrio certo entre o remorso por guardar um segredo e a ternura em proteger sua filha. O elenco ainda conta com os atores argentinos Rafa Ferreiro, que vive o policial que se envolve com a jovem alemã, e a consagrada atriz de teatro Beatriz Spelzini no papel da tia biológica de Maria. Ela foi a vencedora na categoria Melhor Atriz Coadjuvante no último Lola (o grande prêmio do cinema alemão).            

Talvez sejam a mistura inusitada, o roteiro bem estruturado, o charme de filmar em Buenos Aires e a direção econômica e competente: O dia em que eu não nasci empolga e emociona como poucos dos filmes alemães dos últimos anos.

O dia em que eu não nasci pode ser visto em São Paulo a partir de 30 de setembro e deve chegar a outras capitais brasileiras nas próximas semanas.

Autor: Marco Sanchez
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais