1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Eleitores preferem Schröder mas rejeitam coalizão

Maioria dos eleitores alemães preferiria manter Gerhard Schröder na chefia do governo mas tenciona derrotar sua coalizão nas urnas. Assim, Edmund Stoiber assumiria o poder.

default

Edmund Stoiber com a esposa em Nova Yor.

O candidato a chanceler federal da Alemanha, Edmund Stoiber, encontrou-se, pela primeira vez, com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, na Casa Branca, nesta sexta-feira (12). Enquanto isso, na Alemanha, o resultado de uma pesquisa sobre intenção de voto indicava que a maioria dos eleitores preferiria a permanência de Gerhard Schröder na chefia do governo mas, se as releições fossem neste fim de semana, derrubaria nas urnas a sua coalizão formada pelos partidos social-democrata (SPD) e Verde. Neste caso, Schroder seria substituído por Stoiber.

Segundo o resultado da pesquisa, o SPD continua com 36% das preferências de voto e o Partido Verde com 6%. A oposição conservadora democrata-cristã (CDU) e social-cristã (CSU) melhorou a sua posição e conta com 41% das preferências de voto. O Partido Liberal mantém 8%. As três legendas conquistariam uma minoria escassa no Parlamento, mas suficiente para formar uma coalizão de governo, já que o partido neocomunista PDS só ganharia 5% dos votos.

Não obstante, 50% dos eleitores gostariam que Schröder permanecesse na chefia do governo. Só 40% dos entrevistados se declararam a favor de Stoiber. O ministro do Exterior, Joschka Fischer, do Partido Verde, continua sendo o político mais popular da Alemanha, seguido de Schröder, da presidenta da CDU, Angela Merkel, e, em quarto lugar o governador das Baviera e candidato à chancelaria federal.

Salão Oval – O concorrente de Schröder nas eleições de 22 de setembro apresentou-se, nos Estados Unidos nesta sexta-feira, como fez Schröder há quatros anos. Stoiber conversou durante uma hora com o presidente Bush. Por causa de uma pane nos controles de segurança, não foi filmado o encontro com a participação do vice-presidente Dick Cheney, no Salão Oval da Casa Branca. Sem imagens para TV, ele não pode mostrar ao eleitorado em casa que sabe se mover no palco internacional.

Antes do encontro com Bush, o candidato Stoiber foi apresentado a políticos, diplomatas e generais na residência do embaixador alemão em Washington, Wolfgang Ischinger, leu um discurso no Fórum Europeu e fez a visita obrigatória ao local do World Trade Center destruído em 11 de setembro. O candidato à sucessão de Schröder foi cauteloso e procurou agradar o anfitrião.

Stoiber apoiou as exigências americanas para a União Européia investir mais em defesa e assumir mais tarefas na OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Ele responsabilizou o presidente palestino, Yassir Arafat, pelo fracasso do processo de paz. Apesar das alfinetadas na política econômica do governo alemão, ele elogiou o resultado do encontro de Schröder com o presidente russo Vladimir Putin, em Weimar, encerrado com um acordo favorável à Rússia na questão das dívidas que herdara da União Soviética, o que também é do agrado de Washington.