1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Camarote.21

Edição do dia 05/12

Ficou curioso sobre as reportagens desta edição do Camarote.21? Aqui você encontra mais informações sobre os artistas, eventos e exposições que mencionamos. Se ficou com alguma dúvida, escreva para nós.

#link:http://dw.de/p/1Dz78:Os ricos e famosos viram peça de museu#

A exposição de fotografias #link:http://www.mkg-hamburg.de/de/ausstellungen/aktuell/fette-beute.html:Fette Beute# apresenta imagens extravagantes. Ela retrata os super-ricos, mestres experientes da autopromoção. Conhecidos por formato de reality-tv como "Rich Kids of Beverly Hills", eles postam fotos de festas, viagens e de suas compras em redes sociais. E agora estão expostos no Museu de Artes e Ofícios de Hamburgo, na Alemanha. O Brasil também está presente na mostra por meio das fotos de Lamia Abillama, que fotografou mulheres da classe alta no Rio de Janeiro.

Screenshot Camarote.21 Gurlitts Sammlung

Obras encontradas da casa de Gurlitt

Desdobramento do caso Gurlitt

O caso Gurlitt gerou um escândalo no mundo das artes. Em novembro do ano passado, cerca de 1500 pinturas valiosas foram encontradas no apartamento de Cornelius Gurlitt em Munique, na Alemanha, e em sua segunda moradia em Salzburgo, na Áustria. Entre as obras estão pinturas e gravuras de Monet e Renoir. Muitas delas estavam desaparecidas desde o final da Segunda Guerra Mundial. A suspeita é de que muitas das obras encontradas tenham sido roubadas de colecionadores judeus durante o nazismo.

Cornelius Gurlitt era filho do mercador de arte de Hitler e herdou as obras de seu pai. No início deste ano, Cornelius declarou à Justiça que devolveria os quadros aos legítimos proprietários, caso se comprovasse a origem das obras. Mas Cornelius morreu no mês de maio. Antes disso, deixou um testamento, passando o acervo ao #link:www.kunstmuseumbern.ch/:Museu de Arte de Berna#, na Suíça.

Na última semana, o museu anunciou que receberá as obras. Todos os quadros suspeitos de roubo vão permanecer na Alemanha e, caso comprovada a origem ilegal, serão devolvidos aos seus donos originais. Para esclarecer suas origens, eles estão no banco de dados #link:www.lostart.de:LostArt# e na lista colocada pelo museu na internet.

Screenshot Camarote.21 Syrien Kunstraub Landschaft

Imagem de sítio arqueológico na Síria

Sítios arqueológicos são destruídos na Síria

No norte da Síria, o chamado "Estado Islâmico" vem saqueando sítios arqueológicos de forma sistemática. Alguns patrimônios mundiais da Unesco já foram atingidos, como o Krak dos Cavaleiros, esculturas de mais de 800 anos. A reportagem exibida pelo Camarote.21 apresenta vídeos encontrados no telefone celular de um dos saqueadores. Essas imagens divulgadas pela associação #link:http://www.apsa2011.com/index.php/en/provinces/al-hasakah/sites.html:APSA#, Proteção para Arqueologia Síria, mostram a gravidade dos ataques.

O patrimônio roubado é vendido a colecionadores em todo o mundo, e acaba financiando o terrorismo. O governo alemão quer impedir a entrada destas peças no país. Segundo especialistas, os que compram essas obras sabem o que está acontecendo na Síria. Para preservar os sítios arqueológicos de forma efetiva, também o Ocidente teria de tomar providências.

Screenshot Camarote.21 Oscar Niemeyer

Edifício de Oscar Niemeyer em Berlim

#link:http://dw.de/p/1Dz6a:Homenagem a Oscar Niemeyer#

Cinco de dezembro marca dois anos da morte do arquiteto brasileiro que cativou não só o Brasil, mas o mundo: #link:http://www.apsa2011.com/index.php/en/provinces/al-hasakah/sites.html:Oscar Niemeyer#. Em Berlim, existe um prédio projetado por ele que é carinhosamente chamado pelos moradores de "pequena Brasília". O edifício faz parte do bairro conhecido por "cidade do amanhã".

No início dos anos 50, a prefeitura da então Berlim Ocidental criou um projeto de reestruturação do tradicional bairro de Hansa. Arquitetos do mundo inteiro foram convidados a participar, entre eles o brasileiro. Sua construção em Berlim foi inaugurada em 1957, três anos antes de Brasília.

Links externos