1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Economia alemã deverá crescer menos em 2008

Governo e especialistas prevêem que o crescimento do Produto Interno Bruto será menor neste ano, mas que a recuperação da economia alemã continuará. Número de pessoas com trabalho é recorde desde a reunificação.

default

Bons números do mercado de trabalho deverão se manter no próximo ano

O Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha deverá crescer 2,1% em 2008, segundo previsão divulgada nesta quarta-feira (02/01) pelo Instituto Alemão de Economia (DIW). Para 2007, a alta prevista é de 2,5%. De acordo com o presidente do DIW, Klaus Zimmermann, os riscos para a economia mundial estão maiores e a crise bancária ainda não foi superada.

Já o ministro alemão da Economia, Michael Glos, reduziu sua previsão de crescimento do PIB da Alemanha em 2008 para menos de 2%. Ele disse ser ainda muito cedo para definir um percentual exato. A previsão anterior do governo alemão era de no mínimo 2% de alta este ano. Em outubro passado, era de 2,4%.

"Na atual tendência, eu espero um crescimento da economia pouco abaixo de 2% em 2008", afirmou o ministro ao jornal Bild. Ele argumentou que os riscos para a conjuntura econômica mundial se tornaram maiores e que a crise imobiliária nos Estados Unidos ainda não foi superada. "A recuperação [da economia alemã] continuará, mas o crescimento será menor que em 2007."

Ritmo mais lento

Para o ministro, há o risco de a economia mundial desacelerar seu ritmo este ano, em prejuízo das exportações alemães. Isso encareceria o crédito para as empresas de porte médio da Alemanha. Ele lembrou ainda que diversos institutos de pesquisas econômicas corrigiram para baixo seus índices de crescimento da economia e disse que o governo alemão não pode ignorar essas previsões.

Deutschland Konjunktur Wirtschaftsminister Michael Glos

Michael Glos: Alemanha vai continuar crescendo, mas menos

Zimmermann se mostrou otimista em relação ao novo ano, apesar dos números mais modestos. "Mesmo com um crescimento menor do que em 2007, a situação da economia permanecerá em 2008 tão favorável como há muito não estava", afirmou. Ele prevê a criação de 200 mil empregos em 2008 e prognostica que o total de desempregados pode ficar abaixo de 3,5 milhões até 2009.

Também a Confederação Alemã das Câmaras de Indústria e Comércio (DIHK) espera que a economia alemã diminua seu ritmo neste ano, mas que ainda assim sejam criados 300 mil postos de trabalho. Para o presidente Ludwig Georg Braun, uma alta de 2% do PIB pode ser alcançada.

Desemprego em queda

Em 2007, o bom momento da economia alemã elevou para 39,7 milhões o número de pessoas com ocupação no país, segundo relatório do Departamento Federal de Estatísticas divulgado nesta quarta-feira. É o maior nível desde a reunificação do país e representa uma alta de 1,7% em relação a 2006.

"Especialmente a boa conjuntura econômica contribuiu para esse desenvolvimento positivo", avaliou o órgão. O número de pessoas empregadas chegou a 35,3 milhões, também alta de 1,7% em comparação com 2006. O total de profissionais autônomos com ocupação subiu 1,2% e é de 4,4 milhões.

Para a Agência Federal do Trabalho, os números do mercado de trabalho continuarão sendo positivos. "Também em 2008 deverão ser criadas novas vagas", ressaltou a agência nesta quarta-feira, afirmando que ainda há muitos postos de trabalho não preenchidos na economia alemã. (as)

Leia mais