1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Economia alemã deve consolidar-se só em 2004

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) prevê que o crescimento da economia mundial será fortalecido a partir de 2004, beneficiando inclusive a Alemanha.

default

Exportações desaceleraram no país

Com base na atual estagnação mundial, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) voltou a corrigir para baixo seu prognóstico para a conjuntura econômica, em relatório apresentado em Berlim nesta terça-feira (17). A organização calcula que a Alemanha terá um crescimento econômico de somente 0,4% este ano, porcentagem aquém da estimativa de 0,7% anunciada alguns meses atrás. Os especialistas acreditam que, se ocorrerem reformas estruturais, em 2003 a Alemanha irá começar a apresentar melhoras no rumo de sua economia, registrando um crescimento de 1,5%.

A reavaliação do prognóstico apresentado no primeiro semestre de 2002 se deve especialmente ao fraco desenvolvimento da economia nos Estados Unidos e da estagnação da conjuntura econômica no Japão. Andreas Wörgötter, da OCDE, explicou que ambos os fenômenos tiveram impacto negativo sobre a economia alemã, que, de modo geral, depende do comércio exterior. A desaceleração das exportações fez com que o prognóstico para a Alemanha caísse ainda mais.

Outro aspecto relevante é a queda no consumo interno. A economia na Alemanha está tão enfraquecida que os acontecimentos externos exercem influência direta e contribuem para piorar a situação no país. O enfraquecimento da conjuntura econômica, atrelada à reforma tributária do governo, conseguiu desequilibrar as finanças públicas de forma inimaginável.

Ekard Wurzel, responsável pelo setor alemão da OCDE, aponta como medida que deveria ser adotada pelo governo da Alemanha o equilíbrio entre a redução dos impostos e um confiável programa de consolidação da política fiscal em relação aos gastos públicos.

"Somente assim os consumidores e os investidores irão incrementar suas atividades, quando acreditarem que a diminuição de impostos hoje não implicará novo aumento de taxas tributárias amanhã, para compensar um crescente décifit orçamentário", frisou Wurzel.

Desemprego: nenhuma luz no fim do túnel?

O mercado de trabalho alemão é um setor que ainda preocupa os especialistas. A OCDE estima que o desemprego não diminuirá tão rápido, pelo contrário, segundo revelou Wurzel. "Em 2003, o número de desempregados continuará aumentando. Acreditamos que apenas em 2004 ocorrerá de fato uma queda substancial da taxa de desemprego."

A OCDE é otimista quando ao futuro. A tendência é que haja um incremento das exportações a partir de 2003, com a recuperação do comércio mundial, o que irá beneficiar a Alemanha. Para 2004, os especialistas apostam em um taxa de crescimento de 2,5% da economia alemã.

Links externos