1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

DW protesta contra interrupção de sinal no Oriente Médio

Emissoras ocidentais, entre elas a Deutsche Welle, suspeitam que bloqueio tenha sido motivado por questões políticas. Especialistas acreditam que medida seria reação do Irã a sanções do Ocidente.

A interrupção na transmissão de diversos canais ocidentais de rádio e televisão no Oriente Médio durante esta semana teria sido proposital, segundo acusam as emissoras. De acordo com um porta-voz da operadora francesa de satélite Eutelsat, a interferência "deliberada e intermitente" teria partido da Síria. Já na avaliação de especialistas, o Irã estaria por trás do problema com os sinais.

A interrupção afetou a ransmissão de programas da Deutsche Welle, BBC e Voice of America. As empresas consideram a medida como censura estatal.

O superintendente da DW, Erik Bettermann, reagiu às recentes ações contra a liberdade de imprensa. Segundo Bettermann, a Deutsche Welle – que teve suas transmissões interrompidas na manhã de quinta-feira – deve apresentar em breve uma resolução conjunta com as outras emissoras atingidas.

A britânica BBC confirmou uma interrupção no canal BBC World News de língua inglesa e também no programa de TV em árabe, assim como nas transmissões de rádio nos dois idiomas. Por meio de uma porta-voz, a BBC condenou a flagrante infração das regras internacionais sobre uso de satélites e também a tentativa de atrapalhar o "livre acesso à informação".

Resposta a sanções

O governo em Teerã já havia interrompido repetidas vezes em anos anteriores as transmissões da DW, da BBC e da Voice of America. Segundo informações do jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung, a medida seria uma reação à suspensão da retransmissão de 19 programas iranianos pelo satélite Hotbird. A Eutelsat e a britânica Arqiva cumpriam sanções internacionais impostas ao Irã.

A Eurostat é uma das maiores operadoras de satélite do mundo. A empresa francesa transmite mais de 4.250 canais de televisão para mais de 200 milhões de residências na Europa, no Oriente Médio e na África.

MSB/afp/dw
Revisão: Francis França

Leia mais