Dow Jones bate recorde com otimismo por Trump | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 25.01.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Dow Jones bate recorde com otimismo por Trump

Principal indicador de Wall Street atinge 20 mil pontos pela primeira vez na história, na esteira das medidas assinadas nos primeiros dias do novo governo americano. Presidente comemora.

O Dow Jones Industrial, o principal indicador de Wall Street, superou nesta quarta-feira (25/01) a barreira de 20 mil pontos pela primeira vez na história, em meio ao entusiasmo crescente de investidores em relação ao recém-empossado presidente americano, Donald Trump.

A assinatura de uma série de ordens executivas por Trump desde que assumiu a presidência, na última sexta-feira, impulsionou o pregão nova-iorquino. As medidas anunciadas pelo presidente incluem a retirada dos EUA da Parceria Transpacífico (TPP, na sigla em inglês), que prometia ser o maior acordo comercial da história, e a retomada de dois controversos projetos de oleodutos.

Trump comemorou a marca histórica no Twitter: "Ótimo" #Dow20K."

Às 11h04 da manhã (hora local), o Dow ganhou 162 pontos, ou 0,8%, chegando a 20.075 pontos, fechando mais tarde em 20.068,51 pontos. O índice S&P 500 também registrou alta de 0,8% nesta quarta-feira, para 2.298,37 pontos, e o Nasdaq subiu 1%, para 5.656,34 pontos.

O Dow Jones Industrial – que começou a funcionar com esse nome em 1896 – superou pela primeira vez os 19 mil pontos em novembro passado. A marca inédita de 10 mil pontos foi alcançada pela primeira vez em 1999.

Investidores afirmaram que superar os 20 mil pontos se trata apenas de um número, e a maioria se mostra cética quanto aos efeitos da nova marca. Analistas costumam focar mais no índice S&P 500, por considerar que este representa melhor o mercado como um todo. O Dow Jones é baseado nas ações de 30 das maiores e mais importantes empresas dos EUA, escolhidas pelos editores do jornal Wall Street Journal.

LPF/efe/rtr/ap

Leia mais