1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Dois alemães convidados para Bienal paulista

Rupprecht Geiger e Franz Ackermann participam da 25ª edição da mostra no Brasil, que tem curadoria do alemão Alfons Hug.

Dois alemães fazem parte do elenco de artistas escolhidos para participar da Bienal deste ano em São Paulo, de 23 de março a 2 de junho. A nomeação de Rupprecht Geiger (93) e Franz Ackermann (38) reúne duas gerações da pintura alemã da segunda metade do século 20 no pavilhão do Parque do Ibirapuera.

O pintor e arquiteto de Munique Rupprecht Geiger contribuirá à Bienal com nove gravuras monocrômicas. Geiger começou a pintar na Ucrânia e na Grécia, experimentando diferentes intensidades de luz e cor, hoje elementos centrais de seu trabalho. Em 1949, ele participou da fundação do movimento Zen 49, que buscava promover a arte abstrata.

De uma geração mais nova, Ackermann - que nasceu na Baviera, mas mora e trabalha em Berlim - abordará temas mais urbanos. Seus guaches representam lugares combinados com o que sente em relação a eles, brincando com volume e espaço.

Curador alemão - A curadoria da Bienal este ano ficou por conta do alemão Alfons Hug, o primeiro estrangeiro na função. Sua nomeação trouxe um certo fôlego para a mostra, cancelada duas vezes consecutivas devido a desentendimentos entre Ivo Mesquita, que deixou o cargo em julho de 2001, e o organizador da Bienal, Carlos Bratke.

Seu projeto Iconografias Metropolitanas aborda problemas funcionais, sociais e políticos de grandes cidades, como Tóquio, Nova York, Sydney, Londres, Johanesburgo, Caracas e São Paulo. Hug, que fala português fluente e é casado com uma brasileira, é atualmente diretor do Instituto Goethe de Moscou.

Links externos