1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Documentos de Snowden mostram UE como prioridade da espionagem americana

Segundo "Der Spiegel", Washington tem interesse na política externa, comércio exterior e estabilidade econômica do bloco. China, Rússia, Irã, Paquistão, Coreia do Norte e Afeganistão também são alvos preferenciais.

A União Europeia é um dos principais alvos de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA). De acordo com um documento emitido em abril deste ano e vazado pelo ex-analista do órgão Edward Snowden, a política externa, o comércio exterior e a estabilidade econômica do bloco europeu são objetivos prioritários da vigilância da agência.

A informação foi divulgada neste sábado (10/08) pela revista alemã Der Spiegel em seu site na Internet. Segundo o veículo, a NSA estabeleceu uma escala sobre temas diversos, que vai de 1 ("interesse máximo") a 5 ("interesse escasso"). Aos três tópicos relacionados à UE é atribuída prioridade 3, enquanto questões relacionadas com as novas tecnologias, segurança energética e alimentação são classificadas com 5, segundo os documentos a que a revista teve acesso.

Sistema de interesses

A lista secreta mostra que os EUA têm interesse especial em alguns países europeus, como a Alemanha e a França. Com relação à Alemanha, os temas prioritários são política externa, estabilidade econômica e análise de risco financeiro, todos no nível 3 de prioridade. A exportação de armas e o comércio internacional alemães estão classificados com nível 4, os ciberataques com 5.

Um pouco abaixo da Alemanha, França e Japão – países considerados de "médio interesse" – constam da lista a Itália e a Espanha. Entre os principais alvos de espionagem norte-americana aparecem a China, a Rússia, Irã, Paquistão, Coreia do Norte e Afeganistão. Países como o Camboja, Laos ou o Vaticano, por sua vez, são considerados irrelevantes para o serviço de inteligência, assim como a maioria dos países europeus, sejam Finlândia, Croácia, Dinamarca ou República Tcheca.

No final de junho também com base em documentos fornecidos por Snowden, a Spiegel já havia noticiado, que a NSA realizara escutas nas instalações da UE em Bruxelas, Washington e Nova Iorque. Essas informações levantaram grande polêmica na Alemanha. No início de julho, a chanceler federal Angela Merkel afirmou que "não existe escuta entre amigos", motivo por que foi bastante criticada, acusada de não ter interesse em cobrar explicações dos EUA.

MSB/lusa/afp/rtr

Leia mais