1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

DOCUMENTA DE KASSEL

Nos comentários enviados esta semana predominaram os temas culturais, mas não faltou um pouco de política internacional e direito trabalhista. Confira!

default

Fila para visitar a Documenta

Estive na 10ª Documenta em 1997. Foi a melhor exposição que já visitei. Já estive em alguns países da Europa, mas esta foi especial. Já visitei a Bienal de Veneza por três vezes, mas a de Kassel, para mim é mais vanguardista, mais ampla. Vi obras de todos os continentes, principalmente da Ásia e da África, sem ser artesanais.

Eram obras bem contemporâneas, contextualizando política e realidades artísticas. E também gostei muito das novas tecnologias muito bem apresentadas, sem aspecto de feira. Os vídeos e as fotografias foram o melhor na minha opinião. Infelizmente não pude ir em 2002, pois para um brasileiro não está fácil. Mas já estou poupando para 2007. Sou artista plástica de formação, mas atuo na área de museologia, como curadora e também trabalho em instituição pública como pesquizadora e arquivista de fotografia. Gostaria de receber notícias sobre a próxima Documenta.
Iracema Rosa Salgado

ALBERT EINSTEIN

Dizer que Einstein era um gênio é "chover no molhado". Ele foi de grande capacidade e engenhosidade, especialmente sobre a Teoria da Relatividade, que provocou a grande revolução na ciência. Walter Matthau, ao interpretar Einstein para o cinema, deu apenas um "leve" toque sobre sua genialidade, mas demonstrou a figura humana que era o cientista, mesmo com os seus lapsos de memória. Não é à toa que sempre nos lembraremos dele, hoje e sempre.

Marco Antonio da Silva

EMMANUEL KANT

Eu e alguns colegas de faculdade fazemos um grupo de estudo sobre Kant. Neste grupo realizamos, acompanhados por um professor, leituras comentadas da Crítica da Razão Pura. É evidente a complexidade do pensamente kantiano, mas estamos arduamente tentando fazer nossos estudos e interpretações. Estamos nos embrenhando no modo como ele encarava a metafísica, a teoria do conhecimneto e sua articulação para caracterizar a filosofia, em última análise, como a fundamentação para a moral.

A importância de Kant é gigantesca e se evidência pela sua influência, tanto entre seus contemporâneos (refutanto ou concordando) como na filosofia atual, que continua a estudá-lo profundamente.

Paulo Sergio Agostinho

Aprecio imensamente a obra de Emmanuel Kant, podendo-se considerar a trajetória da filosofia como pré e pós-kantiana. Ele desvendou nossa “caixa-preta” e nos mostrou o relativo valor do conhecimento. Entretanto, considero o filósofo Arthur Schopenhauer como quem levou avante a obra iniciada por Kant, acrescentando a "vontade" como o cerne da "coisa-em-si".

Inclusive é muito aproveitável a leitura da crítica sobre a filosofia kantiana feita por Schopenhauer, mostrando-nos uma pequena contradição em seu pensamento. Pena que Schopenhauer seja tão pouco apreciado e divulgado em seu próprio país. Aconselho a quem quiser conhecer o pensamento de Schopenhauer a começar com a quarta e última parte de O mundo como vontade e representação. Ali encontramos a essência de sua filosofia e sua consideração pelo mundo. Mas, enfim, Kant foi o precursor, quem acendeu a tocha para iluminar o recesso, às vêzes sombrio, da mente humana.

Considero Kant como o tronco de uma árvore, cujos dois principais ramos derivados foram Hegel e Schopenhauer.

Paulo Henrique

UNIVERSIDADES ALEMÃS NO BRASIL

Li com bastante entusiamo as notícias que dão conta da instalação de universidades alemãs em diversos países. Acho a iniciativa bastante interessante e promissora, haja vista a importância destes centros de educação para o mundo.

Erico Engelmann

Uma universidade alemã no Brasil seria muito interessante. Isso porque o intercâmbio de culturas entre os países aproximaria as duas nações, as gerações futuras teriam um pensamento unificado em relação ao mundo. Esta oportunidade que os alemães estão dando aos países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil, é de fato importantíssima. Os estudantes brasileiros receberiam um ensino de qualidade, e os estudantes alemães usufruiriam de um universo muito maior do que o que estão vivendo, e o curso deveria ser reconhecido tanto em território alemão quanto brasileiro.

Éder Aparecido da Silva

TERRORISMO

Terrorismo não é a causa, é a conseqüência. Terrorismo é uma das únicas armas que os povos pobres e explorados têm para lutar. Acabem com o terrorismo econômico e com o fanatismo do poder, que o terrorismo dos pobres e oprimidos acabará. É assim que o "Tio Samuel" transformou a vida do planeta num grande exercício sado-masoquista e burro. Ruim para todos. Ou não?

Zeno José Otto

LEI ANTITERROR

E finalmente está instaurada a paranóia na União Européia! Depois dos atentados de 11 de setembro, a discussão sobre garantia dos direitos individuais e da liberdade de expressão vem sendo suprimida pela necessidade de controle das ações e das informações nos EUA e na Europa.

Não basta apenas controlar a entrada dos "novos bárbaros" imigrantes. É preciso cercear os direitos individuais de seus habitantes para que haja a segurança da soberania nacional. Que existe medo na população após os atentados terroristas, isso é compreensível. Também não há a menor dúvida de que é preciso tomar providências. Porém, usar argumentos intitulados de medidas antiterror com o objetivo de controlar a internet e as ligações telefônicas é um erro crasso, próprio de Estados totalitários.

É no mínimo um contra-senso tentar controlar meios de comunicação numa época em que a globalização e as novas tecnologias permitem a ampla difusão de fluxos de informações. Nunca se teve no mundo tanto acesso a informações, conhecimento e formas de comunicação. Será que vamos retroceder nesse campo, permitindo o controle do Estado sobre as informações? Teremos que abdicar de direitos individuais para que governos consigam manter seu status quo?

Se realmente os governos europeus e dos EUA querem combater o terrorismo e o crime organizado, aí vão algumas modestas sugestões: verificar a origem do capital que circula pelo planeta, criar mecanismos para coibir a lavagem de dinheiro, acabar com paraísos fiscais, ter um maior controle do comércio de armas e de produtos químicos e verificar a origem do dinheiro destinado às campanhas eleitorais. Se os governos adotarem essas medidas (o que eu duvido), possivelmente o terrorismo e a criminalidade diminuirão. Fora isso é corroborar a previsão do Big Brother de George Orwell.

Erick Schunig

ENRIQUECIMENTO DE URÂNIO

Acho que qualquer país tem o direito de decidir junto com sua população se usará armas nucleares para a defesa de sua soberania ou não, já que os EUA ameaçam a paz mundial com o seu vasto arsenal. É inaceitável que os EUA venham a impor quem pode ter ou não armas nucleares. É um absurdo, e o mundo precisa se unir para acabar com essa intromissão americana.

Jeronimo Pimentel

REDUÇÃO DOS DIREITOS TRABALHISTAS

A opressão se manifesta atualmente muito menos sob o aspecto político e muito mais sob o aspecto econômico, por meio do maior ganho e do menor custo do capital e da produção – em detrimento de muitos, com o aumento, por exemplo, do desemprego e da redução das conquistas sociais – mediante o fácil argumento neoliberal de que isso vem da globalização, realidade aparentemente inabalável, produzida pela lei do mercado.

Porém, acredito que cabe ao Estado encontrar um mecanismo mais sofisticado e eficaz de controle do capital e da produção diante da atual fase do capitalismo, com uma melhor distribuição da riqueza, incluindo mais empregos sem redução dos direitos trabalhistas, evitando-se com isso a insatisfação social e a instabilidade que desse desagrado resulta.

Renato Wieser

MARCA BRASIL

É sempre bom ver a marca do Brasil sendo vendida lá fora. É sempre bom receber europeus com suas culturas e também seus euros. Espero que esta "troca" de moedas e visões ajude ambos a crescerem. Tipo "Tu me ensina a fazer renda que eu te ensino a namorar"

Volnylson Almeida de Castro