1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Diretoria da Siemens sob pressão no caso de corrupção

Altos executivos da Siemens previnem-se e buscam contato com conhecidos advogados que atuaram no caso Mannesmann. Acionistas exigem demissão do presidente do conselho de administração.

default

Klaus Kleinfeld previne-se e contrata advogado famoso

Após a detenção do ex-diretor de Comunicação da Siemens, Thomas Ganswindt, na terça-feira (12/12), aumenta a pressão sobre o atual presidente do conglomerado, Klaus Kleinfeld, e seu antecessor, Heinrich von Pierer.

Kleinfeld já se preveniu e contratou o advogado Klaus Volk, segundo o jornal especializado em economia Handelsblatt. Volk foi um dos dois advogados de defesa do presidente do Deutsche Bank, Josef Ackermann, no caso Mannesmann, e é tido como o principal mentor do acordo que levou ao arquivamento do julgamento.

Segundo a mesma notícia, Heinrich von Pierer, atual presidente do conselho de administração da empresa, é assessorado por Sven Thomas, que defendeu no mesmo processo o ex-presidente da Mannesmann Klaus Esser.

Um porta-voz da Siemens confirmou os contatos com os dois advogados, ressaltando no entanto que eles já foram estabelecidos há mais tempo. Até agora, oficialmente, apenas os advogados da empresa estavam tratando do caso de corrupção, que adquire proporções cada vez maiores.

Thomas Ganswindt Siemens

Prisão preventiva: ex-diretor Thomas Ganswindt

Na terça-feira, a empresa divulgou em Munique que uma auditoria interna havia revelado pagamentos duvidosos num total de 420 milhões de euros, a maioria deles por conta de contratos de consultoria.

Em conseqüência, a empresa pagou ao fisco 168 milhões de euros em impostos atrasados e corrigiu o balanço referente ao exercício de 2005/2006, reduzindo os lucros de 3,106 bilhões para 3,033 bilhões de euros.

Ganswindt permanece na prisão

O ex-diretor do conglomerado Ganswindt continua em prisão preventiva por existir perigo de fuga, segundo o Ministério Público de Munique. Segundo informações veiculadas pela imprensa alemã, Ganswindt foi culpado por um antigo colega. Consta que ele já sabia da existência do caixa dois antes de ser nomeado para a diretoria da Siemens, no ano de 2004.

Von Pierer na mira dos críticos

Galerie Top-Manager Heinrich von Pierer

Caso começou quando Heinrich von Pierer era presidente do conglomerado

Aumenta a crítica ao ex-presidente da Siemens e atual presidente do conselho de administração do conglomerado, Heinrich von Pierer, em cujo exercício começou o caso de corrupção.

Na opinião de Willi Bender, da diretoria da Associação de Proteção aos Pequenos Acionistas (SdK), Von Pierer está envolvido demais no caso e "faria bem em tirar ele mesmo as conseqüências por livre e espontânea vontade". Até agora, Von Pierer não vê motivos para se demitir.

A líder da bancada do Partido Verde no Parlamento alemão, Renate Künast, engrossou nesta quarta-feira o coro dos críticos, exigindo que Von Pierer seja destituído das funções de assessor do governo alemão para questões de inovação tecnológica e de presidente do Conselho de Inovação e Crescimento. (lk)

Leia mais