1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Migração

Dinamarca libera trânsito na fronteira com a Alemanha

Tráfego em rodovia, ferrovias e balsas foi interrompido durante horas para impedir a passagem de migrantes com destino à Suécia. Polícia estima que 3,2 mil pessoas vindas da Alemanha tenham chegado ao país desde domingo.

A polícia dinamarquesa afirmou nesta quinta-feira (10/09) que não irá mais tentar impedir migrantes de transitar pelo país para chegar à Suécia e a outros países nórdicos. Algumas linhas de trem estão operando novamente, um dia após a

Dinamarca ter suspendido o trânsito ferroviário na fronteira com a Alemanha

.

A companhia ferroviária dinamarquesa DSB afirmou que trens voltaram a percorrer o trajeto entre Flensburgo, na Alemanha, e Padborg, na Dinamarca. O serviço entre Flensburgo e Copenhague também foi retomado.

A rodovia que liga a península dinamarquesa de Jutland com a Alemanha também foi reaberta após ter sido fechada para evitar a entrada de migrantes nesta quarta-feira.

A operadora Scandlines divulgou que a balsa que faz o transporte entre Puttgarden, na Alemanha, e o porto de Rodby, na Dinamarca – que também recebe trens transportados por balsas – já está funcionando normalmente. No entanto, conforme a DSB, esses trens ainda não estão operando.

Conforme o chefe da polícia dinamarquesa, Jens Henrik Hojbjerg, ao invés de tentar registrar pessoas que chegam à fronteira e se negam a ter contato com autoridades dinamarquesas, a polícia do país decidiu deixá-las passar. A polícia dinamarquesa estima que 3,2 mil pessoas vindas da Alemanha tenham chegado ao país desde domingo.

Tumulto na fronteira

Em Padborg, as cerca de 150 pessoas que haviam se negado a se registrar junto à polícia dinamarquesa ou a serem levadas para centros de acolhimento foram autorizadas a embarcar num trem para Copenhague no início da manhã desta quinta-feira.

Outro grupo de 240 pessoas que haviam se negado a deixar dois trens na cidade portuária de Rodby, no sul da Dinamarca, também foi autorizado a partir. Muitos disseram querer ir à Suécia ou à Noruega por terem família e amigos nesses países ou por acreditarem que estes oferecem melhores condições a requerentes de asilo.

Conforme a polícia, outras 300 pessoas em Rodby – que estavam alojadas numa escola, mas não queriam requerer asilo na Dinamarca – também deixaram o local.

A polícia em Padborg disse que foi oferecida aos migrantes a possibilidade de requerer asilo e que aqueles que não queriam essa opção puderam seguir viagem após informar seus nomes e nacionalidades.

Alemanha e Suécia têm estado entre os principais destinos de requerentes de asilo, enquanto a Dinamarca introduziu fortes restrições nos últimos anos.

O primeiro-ministro dinamarquês, Lars Lokke Rasmussen, deve se reunir nesta quinta-feira com líderes de seu partido para discutir a situação dos refugiados. O governo liberal de centro-direita de Rasmussen tem pressionado pela redução de benefícios a novos requerentes de asilo e por outras medidas que façam com que a Dinamarca seja menos atraente para refugiados.

MP/rtr/dpa

Leia mais