1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Dinamarca estende controles fronteiriços com a Alemanha

Copenhague mantém fiscalização em pontos de travessias até 23 de fevereiro em tentativa de acabar com migração de refugiados. Organização Internacional para as Migrações divulga aumento de menores desacompanhados.

A ministra da Imigração dinamarquês, Inger Stojberg, disse nesta terça-feira (02/02) que a Dinamarca irá estender os controles fronteiriços ao longo de sua fronteira com a Alemanha até 23 de fevereiro. O acréscimo de 20 dias nos cerca de 15 pontos de travessia é uma tentativa de acabar com a migração de refugiados.

Stojberg acrescentou que o governo dinamarquês supõe que um grande número de migrantes poderia tentar entrar no país através da Alemanha, depois que a Suécia impôs controles em suas fronteiras. As

medidas dinamarquesas foram impostas

em 4 de janeiro, após ações

semelhantes do governo sueco

.

Estados-membros da União Europeia (EU) estão em meio a um impasse na tentativa de formar um plano de ação coeso para enfrentar a onda migratória que trouxe mais de 1 milhão de pessoas à Europa em 2015 – muitas delas fugindo de guerras e pobreza em países atingidos por conflitos.

No sábado, a chanceler federal alemã, Angela Merkel, disse que os

refugiados devem ver suas novas residências no país como temporárias

, acrescentando esperar que eles deixem a Alemanha "assim que a paz voltar à Síria".

Aumento de menores desacompanhados

Enquanto isso, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) anunciou que mais de 67 mil migrantes cruzaram à União Europeia em janeiro, com um aumento significativo de menores de idade não acompanhados.

"[Número de jovens desacompanhados] É muitas, muitas vezes maior em relação ao que vimos há um ano, no mês de janeiro", disse um porta-voz da OIM, Joel Millman. Aproximadamente 20 mil dos que realizaram a travessia em janeiro era menores de idade não acompanhados, ou seja, cerca de um terço dos migrantes. Ainda em janeiro, a OIM registrou 368 mortes ou desaparecidos.

PV/dpa/ap/rtr

Leia mais