1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Dilma vai à TV pedir que população ajude na luta contra o zika

Em pronunciamento gravado, a presidente apelará à conscientização de que a única forma de derrotar o mosquito é eliminando seus criadouros. Funcionários de órgãos públicos serão treinados para combater o "Aedes aegypti".

Até a próxima quarta-feira, a presidente Dilma Rousseff fará um pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão para pedir que a população ajude no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor dos vírus da dengue, chikungunya e zika. O intuito é convocar a população e conscientizá-la para a única forma atual de evitar a disseminação das doenças, que é a eliminação do inseto.

O vídeo foi gravado nesta segunda-feira (1º/02). De acordo com o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, o objetivo do pronunciamento de Dilma é "despertar as pessoas que a única vacina" contra o mosquito é a conscientização de que todos os criadouros do inseto devem ser eliminados.

Dilma se reuniu no fim da tarde com vários ministros e presidentes de empresas estatais para, nas palavras do ministro, fazer um "toque de alerta" para que todo o governo esteja envolvido na mobilização contra o mosquito e para que a campanha seja permanente.

Na reunião ficou decidido também que o governo federal treinará funcionários dos órgãos públicos – por exemplo, Correios, Eletrobrás, Banco do Brasil – para identificar criadouros e aplicar medidas de combate ao mosquito Aedes aegypti. Cinco representantes de cada ministério participam, a partir desta terça-feira, de reuniões em que receberão instruções para a eliminação do inseto.

A intenção é fazer com que as ações contra o mosquito sejam permanentes e ocorram de forma coordenada pelos órgãos. "Você pode ter, por exemplo, os Correios, que vão bater de porta em porta [perguntando:] 'Você já fez sua limpeza, sua verificação hoje?' No fundo, é transformar cada um em um soldado no combate ao mosquito. Nós só vamos ter uma diminuição da contaminação se a gente diminuir a infestação do mosquito", disse.

PV/abr/ots

Leia mais