1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Eleições 2014

+ Dilma e Aécio levantam casos de corrupção em último debate +

Delação da Petrobras, mensalão do PT e crise da água em São Paulo elevam atritos entre os candidatos no último debate antes do segundo turno. Veja como foi.

00h59Encerramos aqui a cobertura do último debate presidencial. Obrigado pela companhia!

00h55 – "Essa eleição ficará marcada por ser a eleição da mentira, da intolerância e da ofensa. O que ocorreu foi um ataque a um veiculo de comunicação", disse o tucano em referência à denúncia da revista Veja. A publicação diz que Dilma e Lula sabiam do esquema de corrupção na Petrobras.

00h52 – Aécio: "A remoção da diretoria da Petrobras será imediata. Vamos resgatar a meritocracia e qualidade da gestão pública."

00h47 – Aécio critica episódios de vandalismo em embates entre militantes.

00h33 – Candidata petista acredita em retomada "tímida" do crescimento para 2015.

00h31 – Dilma: "Posso garantir que não foi usado dinheiro de caixa dois na minha campanha."

00h19 – Candidatos dão entrevista à imprensa.

00h01 – Encerrado o último debate presidencial.

23h58 – Aécio: "Chego ao final dessa campanha de pé, honrado. Não sou hoje mais o candidato de um partido político, mas da mudança, de valores, da eficiência do estado e com a generosidade que um governante deve tratar os brasileiros. Há 30 anos eu fiz a mesma caminhada pelo Brasil. Meu avô não teve o privilégio de assumir a presidência da República. Eu sou hoje já um vitorioso. Porque falei a verdade e jamais perdi a minha fé."

23h56 – Dilma faz suas considerações finais: "Nós estamos construindo um Brasil do amor, da solidariedade. Um Brasil que quer melhorar de vida e faz isso com muita autoestima. É um país que cresce, mas com um olhar especial para os negros, mulheres e jovens. É o Brasil da inovação e da ciência. Nós que lutamos tanto para melhorar de vida, não vamos permitir que ninguém tire de você o que você conquistou. O Brasil fez com que você crescesse e melhorasse de vida, não vamos permitir que isso volte atrás."

23h55 – "O caminho que nos espera, se não houver uma mudança radical, é o pior de todos. Porque o que acontece com os investidores afeta os trabalhadores. Com uma política fiscal transparente, nós vamos criar mais empregos para pessoas qualificadas como você."

23h54 – Dilma: "Nós temos hoje uma taxa de desemprego baixa. Se não tiver qualificação, você não consegue fechar a demanda com a oferta."

23h53 – Aécio: "Apenas em São Paulo a indústria está demitindo 100 pessoas por dia. A confiança dos empresários vem diminuindo mês a mês. Por isso, o Brasil precisa de um governo novo com credibilidade."

23h52 – Eleitora pergunta a Aécio qual é a proposta do candidato para que pessoas maduras possam participar do mercado formal de trabalho.

23h51 – Dilma: "Nós temos que tratar a questão da droga com tratamento e prevenção."

23h50 – Aécio: "Eu quero criar o poupança jovem, que é um recurso que só pode ser sacado no final do curso, para que ele tenha um incentivo a mais para formar."

23h49 – Eleitora indecisa pergunta sobre combate às drogas.

23h48 – Dilma: "Não basta só controlar uma das maiores fronteiras do mundo, temos que fazer uma política de controle de fronteiras de estados. Eles agem de forma coordenada, nós agimos de forma fragmentada. Por isso eu propus que nós modifiquemos a Constituição, para atribuir ao governo federal a responsabilidade de coordenar a segurança."

23h46 – Aécio: "A grande verdade é que as nossas fronteiras estão desguarnecidos. Eu tenho um projeto que obriga que todo o recurso da área de segurança pública seja aplicado. Portanto, quando o governo contigencia esses recursos, ele mostra que segurança não é uma prioridade."

23h45 – Dilma: "Nós fizemos um plano estratégico de fronteira e conseguimos apreender drogas, armas e determos veículos e pessoas. É fundamental ter uma maior participação da União nessa área."

23h44 – Aécio: "Nós vamos ter uma relação diferente com os países produtores de droga. Além das casas de recuperação, que nós vamos ampliar, nós precisamos de uma reforma no código penal. A terceirização de responsabilidade é muito grave."

23h43 – Eleitor pergunta quais são as propostas de Aécio para o fortalecimento da segurança nas periferias.

23h41 – Dilma: "Nós não podemos interferir no estado. Nós podemos fazer parcerias. Geralmente nos municípios e estados mais pobres nós damos dinheiro do nosso orçamento para as obras de esgoto. Nos estados mais ricos, nós financiamos em condições bastante razoáveis."

23h40 – Aécio: "Eu não vou terceirizar as responsabilidades, vou desonerar as empresas de saneamento do PIS Cofins. É sim fundamental que nós resgatemos a capacidade de fazer parceria com os municípios, que tem que dar a contrapartida."

23h39 – "Eu tenho um compromisso de acelerar o tratamento e a coleta de esgoto. Eu vou dar prioridade ao esgotamento sanitário. Nós avançamos, mas não é o suficiente. Há municípios que não tem tratamento de água", responde Dilma.

23h38 – Dona de casa pergunta sobre enchentes e saneamento básico.

23h37 – Quarto e último bloco começa com nova rodada de perguntas de eleitores indecisos.

23h32 – Aécio: "Um documento do ministro do Tribunal de contas aprovou as nossas contas."

23h30 – Dilma: "Eu acreditei no seu choque de gestão, até saber que o senhor tinha conseguido transformar o seu estado em um dos mais endividados, sem saber que você não cumpria o mínimo constitucional. Vocês nunca foram a favor do Prouni, vocês pediram que ele fosse considerado inconstitucional."

23h28 – Aécio: "Vamos às urnas sem saber o que a senhora acha sobre os seus companheiros do mensalão. A senhora me considerava um dos melhores coordenadores do Brasil. O que mudou? O fato de eu ser hoje seu adversário? Nós sempre valorizamos a educação."

23h27 – Dilma pergunta sobre educação. "Por que vocês foram contra o Enem e o ProUni?."

23h25 – Dilma: "O mensalão do seu partido não teve nem julgados e nem punidos."

23h23 – Aécio pergunta a Dilma sobre o escândalo do mensalão do PT. "Membros do seu partido acham que são heróis nacionais. Para a candidata Dilma Rousseff, José Dirceu, por exemplo, foi punido adequadamente ou é também um herói nacional?."

23h22 – Dilma: "Vocês deixaram a agricultura. Uma pessoa fala do futuro, mas tem que mostrar as suas credenciais. Vocês não deram importância ao agricultor familiar."

23h21 – Aécio: "Não vamos olhar para o retrovisor. Nós vamos ter uma política agrícola baseada no respeito. A senhora permitiu que o etanol fosse destruído, o desemprego chega no nordeste brasileiro. Nós temos que ter uma política agrícola que tire o Ministério da Agricultura desse loteamento político."

23h20 – Dilma pergunta a Aécio sobre políticas agrícolas.

23h19 – Dilma: "O fim do financiamento privado é diferente do financiamento empresarial, porque você pode ter financiamento de pessoas físicas. O crime de corrupção, se não for investigado, vai se repetir. O financiamento empresarial coloca o poder econômico dentro de todas as campanhas."

23h18 – Aécio diz que no ano passado o PT recebeu 80 milhões de reais em financiamento privado proveniente de empresas. "O seu partido não tem autoridade para falar isso. Eu, não. Sempre defendi limitações do financiamento privado", diz o candidato pelo PSDB.

23h17 – "A reforma política é o fim do financiamento empresarial das campanhas, acabaremos com a influência do poder econômico nas eleições. Sou a favor do fim da coligação nas eleições proporcionais. Eu acho que o senhor não tem interesse na reforma política, porque só fala da reeleição. Aliás foram vocês que criaram a reeleição", responde Dilma.

23h16 – "É preciso fazer uma reforma política. Temos que acabar com a reeleição. Quem está governando o Brasil?", pergunta Aécio.

23h15 – "A ausência de planejamento é uma marca do seu governo. A transposição do São Francisco era para ter ficado pronta. Eu vou concluir a obra", rebate o tucano.

23h14 – "Planejar no estado mais rico do país é uma vergonha. Porque os estados do Nordeste estão enfrentando a mesma seca e nenhum está nessa situação", diz Dilma. "Vou concordar com o humorista José Simão: vocês conseguiram um programa 'meu banho, minha vida'."

23h13 – Aécio diz que faltou parceria do governo federal.

23h11 – Dilma pergunta se houve falhas na gestão tucana em São Paulo, já que o estado passa por uma crise hídrica.

23h09 – "Nós oferecemos para as pessoas com deficiência toda uma assistência e atenção, seja no que se refere na saúde e na educação. Alem disso, a nossa política para as pessoas com deficiência reconhece nelas cidadãos brasileiros", responde Dilma.

23h08 – Aécio pergunta sobre ações de assistência social. "A diretora de assistência social do seu governo confirmou que os repasses do Fundo Nacional de Assistência estão atrasados em três meses".

23h06 – Terceiro bloco começa com pergunta de Aécio. Candidatos voltam a fazer questionamentos de tema livre.

23h01 – "Foi criado o fator previdenciário em um momento de profunda crise. O nosso compromisso não muda às vésperas das eleições", disse Aécio.

23h – Dilma diz o PSDB foi responsável pela criação do fator previdenciário. "Quando o país fica cheio de idosos, quem vai pagar a aposentadoria daqueles que ficaram idosos porque não trabalham? Vai ser como sempre o pessoal da ativa. Por isso, quando a gente olha para a questão do fator previdenciário, é muito importante abrir a discussão com as centrais sindicais", afirmou a petista.

22h58 – Eleitora pergunta a Aécio sobre medidas para amparar idosos. "O INSS, no nosso programa de governo, se transforma no instituto da cidadania. Nós vamos rever o fator previdenciário para que ele não puna a renda dos aposentados", respondeu o tucano.

22h57 – Dilma diz que no governo tucano todos os casos de corrupção eram "engavetados".

22h55 – "Eu vejo a candidata Dilma apresentar propostas, muitas delas estavam em tramitação durante anos no Congresso, mas o PT não fez nada. Tem uma medida para acabar com a corrupção que não depende de nenhuma lei: Vamos tirar o PT do governo", diz Aécio. A plateia vaia e aplaude.

22h53 – Eleitora indecisa pergunta o que Dilma irá fazer para combater a corrupção. A candidata à reeleição ressalta autonomia da Polícia Federal e fala sobre projetos de lei e medidas para identificar envolvidos com maior eficácia.

22h51 – "Se as 6 mil creches estivessem construídas, provavelmente as pessoas teriam a tranquilidade de onde deixar seus filhos. Se eu governar, você terá uma nova realidade no ensino público", disse Aécio à eleitora.

22h50 – Dilma promete a entrega de 6 mil creches e destaca fundo do Pré-Sal para a educação.

22h49 – Aécio ressalta sua gestão no governo de Minas de Gerais e defende maiores salários para professores.

22h47 – A contadora Renata, de Belém, quer saber o que Aécio fará pela educação.

22h46 – Dilma diz que até o fim do ano serão construídas 3,7 milhões de moradias. "Os tucanos não sabem fazer isso."

22h45 – Aécio: "Esse é um drama que milhões de brasileiros vivem. A dificuldade de pagar o aluguel e ter a casa própria. Nós vamos ampliar esses programas habitacionais, com parcerias mais efetivas e desburocratizadas."

22h44 – Dilma destaca o programa Minha Casa Minha Vida e afirma que vai ampliar as faixas de renda a serem beneficiadas.

22h43 – Segundo bloco começa com perguntas de eleitores indecisos. O florista Luiz Alexandre quer saber qual será a política de Dilma para reduzir o valor dos aluguéis.

22h39 – "Eu era líder do PSDB. Para quem não conhece o Congresso Nacional pode ser a mesma coisa...", responde Aécio sob gritos da plateia.

22h38 – Dilma faz pergunta sobre o Pronatec. "Vocês fizeram uma lei proibindo que o governo federal fizesse e mantivesse escolas técnicas", diz a petista. "Por isso fizeram ao longo de oito anos só onze escolas técnicas. O senhor era líder do FHC?"

22h36 – "A senhora quer dizer então que foi o PT que controlou a inflação e não o PSDB, com o Plano Real?", responde Aécio.

22h34 – Dilma rebate dizendo que os tucanos quebraram a Caixa Econômica Federal e os bancos públicos. "Vocês chegaram a uma obra-prima, candidato, de aumentar o imposto e deixar uma dívida pública muito maior do que a que vocês receberam. Não há termos de comparação entre o que nós fizemos e o que vocês fizeram."

22h32 – Aécio afirma que a inflação está descontrolada. "Ela estourou o teto da meta. É perversa a equação que seu governo deixará ao sucessor, e estou preparado para ela. A inflação é alta e o crescimento é baixo", disse o tucano.

22h30 – "Eu quero tranquilizar todos os brasileiros: nós vamos manter o programa e aprimorá-lo. Ninguém pode querer se apropriar de programas como se fossem apenas seus, eles são da sociedade brasileira", rebate Aécio.

22h28 – Dilma pergunta a Aécio por que ele faz críticas ao programa Minha Casa Minha Vida. "Eu não entendo a razão das críticas, uma vez que nós batemos todos os recordes construindo habitações no Brasil", diz.

22h26 – Aécio questiona Dilma sobre o financiamento de porto de Mariel em Cuba. "O que é mais grave: este financiamento vem com carimbo de secreto, ele não é acessível à população brasileira. O que o seu governo tem a esconder, candidata?."

22h24 – "Vamos aguardar o eleitor decidir se a senhora terá um próximo governo, candidata. A história, a gente não reescreve, o futuro, sim, esse nós podemos escrever de forma diferente do que está sendo escrito pelo seu governo", afirma Aécio.

22h22 – "Nós aumentamos o salário mínimo 71% em termos reais", diz Dilma. "Quem não gastou o mínimo constitucional na saúde foi o senhor quando era governador de Minas, e ficou devendo oito bilhões."

22h20 – “O seu governo afugentou os investimentos e a inflação está de volta. É preciso que o seu governo reconheça que estamos em uma situação muito grave", rebateu Aécio. O seu governo fracassou na gestão do estado nacional, o Brasil é hoje um cemitério de obras. Esse é o Brasil real, não é o Brasil do seu marqueteiro."

22h19 – Dilma questiona Aécio sobre o salário mínimo e destaca criação de empregos.

22h17 – "A revista Veja fez uma calúnia e o senhor a endossa. Manifesto minha inteira indignação", afirma Dilma. "Essa revista sempre tenta dar golpes eleitorais na reta final da campanha. Isso acontece desde 2002. O povo sabe que essa informação está sendo manipulada", completou a petista.

22h16 – "Essa campanha vai passar para a história como a mais sórdida. É um péssimo exemplo", afirma o tucano. "A revista Veja disse que a senhora e Lula tinham conhecimento do caso de corrupção da Petrobras. A senhora sabia?", pergunta Aécio.

22h14 – Os candidatos entram no estúdio e se cumprimentam. Ambos desejam bom debate. Aécio faz a primeira pergunta.

22h12 – Após problemas técnicos nas imagens, William Bonner explica as regras do primeiro bloco.

22h09 – Começa o último debate presidencial entre Dilma Rousseff e Aécio Neves.

22h08 – A chamada

"nova classe média"

tem peso relevante na disputa entre Dilma e Aécio.

21h55 – Dilma e Aécio já estão no palco. Eles acabam de se cumprimentar.

21h51 – As regras: O debate terá quatro blocos. No primeiro e no terceiro, os candidatos fazem perguntas de tema livre. No segundo e no quarto blocos, Dilma e Aécio respondem a perguntas de oito eleitores indecisos selecionados pelo Ibope e pela produção do programa. Ao fim do quarto bloco, os candidatos fazem as considerações finais.

21h43 – Walter Feldman, ex-coordenador da campanha de Marina Silva, diz que pesquisas internas do PSDB apontam que Aécio está à frente de Dilma. "Aécio ligou para Marina, e ela lhe desejou boa sorte", disse.

21h39 – Dilma faz selfie com mensagem para os eleitores.

21h36Dilma Rousseff acaba de chegar. "A expectativa é de um debate com bom nível", afirmou a petista.

21h34 – Os candidatos investiram nas

redes sociais

. Campanhas pela internet ganham importância, mas ainda não definem a eleição.

21h29 – Aécio faz selfie no Projac.

21h22Aécio Neves chega para o debate: "Combati o bom combate e vou vencer essas eleições no domingo pelo bem do Brasil", disse o tucano.

21h18 – A repórter Marina Estarque está nos estúdios da TV Globo no Rio de Janeiro e acompanha o debate.

21h15 – No

último debate

, transmitido pela TV Record, Dilma e Aécio evitaram ataques pessoais e se concentraram em propostas de governo.

21h10 – O debate começa às 22h10 (horário de Brasília) e deve durar uma hora e 50 minutos. A mediação será do jornalista William Bonner.

21h05 – Há a expectativa também de que os candidatos mirem nos eleitores indecisos. Os brasileiros que optaram por nulo ou branco e os que não foram às urnas somaram quase

30% do total do eleitorado

no primeiro turno.

21h00 – A expectativa é que os ataques mútuos, que marcaram os primeiros debates, sejam deixados de lado, depois que pesquisas mostraram a desaprovação do eleitorado.

Mesmo assim, assuntos polêmicos não devem ficar de fora. O mais em evidência no momento é a denúncia do doleiro Alberto Yousseff, que, segundo a revista Veja, teria dito aos investigadores da Operação Lava-Jato que Dilma e Lula sabiam dos desvios de dinheiro da Petrobras.

20h55 – As últimas pesquisas de intenção de voto mostram

Dilma em vantagem

. No Ibope, ela chega a alcançar 54% dos votos válidos, contra 46% de Aécio.

20h50 – Os candidatos à Presidência, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), fazem nesta sexta-feira, na TV Globo, o quarto e último debate antes das eleições de domingo (26/10). A DW Brasil acompanha em tempo real.

Leia mais