1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Dilma chega a Bruxelas e diz que Mercosul quer acordo com a UE

Segundo a presidente, bloco sul-americano está determinado a avançar nas negociações e espera que UE também esteja. Ministra da Agricultura diz que Brasil apresenta oferta em julho e espera que Argentina acompanhe.

A presidente Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira (10/06), em Bruxelas, que o Mercosul está pronto para avançar nas negociações sobre um acordo de livre-comércio com a União Europeia (UE), mas quer saber se o bloco europeu também está preparado.

"O Mercosul pretende fazer a sua proposta e queremos saber se a UE está pronta para isso", declarou a presidente ao chegar à sede do Conselho Europeu, onde se desenrolará, entre esta quarta e quinta-feira, a segunda reunião de cúpula entre líderes da UE e da Celac (Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos).

À DW, Dilma disse que as relações com a UE são estratégicas para a região

, tanto para a América Latina quanto para o Caribe. "Nós queremos estreitar essas relações. Por isso, os países do Mercosul pretendem marcar o prazo para fazer a entrega das ofertas do acordo de livre-comércio com a UE. Eu espero que esse acordo saia e, do nosso ponto de vista, tem todas as condições para sair."

Brüssel Celac Gipfel Dilma Rousseff Michelle Bachelet Angela Merkel

Dilma ao lado da presidente do Chile, Michelle Bachelet, e da chanceler alemã, Angela Merkel

Segundo a presidente, do ponto de vista do Brasil, é prioritário chegar a um acordo ainda em 2015. Ela não descartou que cada país do Mercosul tenha um ritmo próprio de negociação. "Resta saber se nós [os países do Mercosul] vamos poder fazer isso simultaneamente. Os países têm diferenças."

Horas antes, depois de um encontro com o primeiro-ministro belga, Charles Michel, Dilma havia dito que Brasil e Mercosul estão em condições de apresentar suas ofertas comerciais à União Europeia. "Acredito que isso poderá ocorrer nos próximos dias ou meses, e esperamos que essa questão evolua de forma satisfatória também do ponto de vista da União Europeia", acrescentou.

A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, foi mais específica e disse que o Brasil quer apresentar em julho sua oferta de liberalização do comércio para a União Europeia. Segundo a ministra, que acompanha a presidente à capital belga, o Brasil está se preparando para impulsionar o acordo, mesmo que haja resistências por parte de alguns parceiros do Mercosul, como a Argentina.

"Seria muito ruim para a Argentina ficar para trás. O ideal seria que [a Argentina] aceitasse [o acordo]. Ela [Dilma] vai pedir a troca de ofertas para este ano. Nós queremos entregar em julho, estaremos prontos", disse.

As negociações entre a União Europeia e o Mercosul (formado por Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela) foram lançadas em 1999, estiveram paralisadas durante vários anos, e foram relançadas em 2010, mas não têm conhecido verdadeiros progressos.

Nesta quarta-feira, a chefe de diplomacia da UE, Federica Mogherini, encontrou-se com o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, ao qual transmitiu o "compromisso da UE com essa negociação".

AS/dpa/lusa

Leia mais